Polícia

Corregedoria terá 90 dias para investigar conduta de PM que comemorou fim dos pardais

21/05/18 - 20h30 - Atualizado em 21/05/18 - 20h44
Arquivo / TNH1

Membros do Conselho de Segurança (Conseg) se reuniram nesta segunda-feira (21) para votar sobre a investigação do caso do cabo Kleverton Ferreti - que divulgou vídeos em suas redes sociais comemorando a retirada da fiscalização eletrônica das ruas de Maceió – e foi determinado, por 5 votos a 7, que a conduta do policial será investigada pela Corregedoria da Polícia Militar.

Kleverton usou sua conta no Instagram para fazer o que ele classificou em seguida como “brincadeira”, e filmou a si mesmo dançando em cima do banco de um veículo em movimento, entre outras coisas.

Durante a sessão realizada pelo Conseg, os advogados do militar tentaram encerrar o episódio justificando que Ferreti está afastado da corporação, em razão de licença especial, o que foi rejeitado pelo colegiado. Também foi determinado o prazo máximo de 90 dias para que a corregedoria se pronuncie sobre o caso, decidindo se irá ou não punir o cabo.

LICENÇA DE 5 ANOS

De acordo com o vice-presidente do Conselho Estadual de Segurança, Antônio Carlos Gouveia, um dos pontos que precisam ser aprofundados pela investigação é a licença de 5 anos concedida pela PM ao cabo, que também é empresário.

“A PM não costuma dar esse tipo de licença sem uma boa justificativa do solicitante. Queremos saber quais foram os motivos que levaram o policial a pedir tanto tempo de afastamento de suas funções na corporação e vamos acompanhar de perto todo o processo da corregedoria, para que esse caso não caia no esquecimento”, garantiu Gouveia, durante entrevista ao TNH1.