Brasil

Gasômetro da Usiminas explode e deixa 25 feridos em Ipatinga; veja vídeos

10/08/18 - 14h13 - Atualizado em 10/08/18 - 17h56
Usiminas | Redes Socais

Um gasômetro da Usiminas em Ipatinga (MG) explodiu no início da tarde desta sexta-feira (10). A brigada de incêndio da empresa está no local, e o gás foi cortado para evitar novas explosões.
O Corpo de Bombeiros informou que 25 pessoas foram encaminhadas ao Hospital Márcio Cunha e que, a princípio, nenhuma delas está em estado grave. Os bombeiros ainda fazem uma varredura no local em busca de outras vítimas.

A fábrica da Usiminas fica na região central de Ipatinga, a 215 km de Belo Horizonte. Devido ao vazamento de gás, o local foi esvaziado, assim como partes do centro da cidade, inclusive escolas.
O impacto da explosão foi sentido por moradores e chegou a provocar tremor.

No vídeo abaixo, feito por um trabalhador da empresa, dá pra ver o momento em que os trabalhadores identificam o local da explosão e saem correndo.

Em nota, a Usiminas informou que a canalização do gás foi bloqueada e não há vazamento. Segundo os bombeiros, o gás presente no gasômetro se queimou na explosão e o restante foi dispersado. Não houve incêndio decorrente da explosão. O que ocorreu, ainda segundo a empresa, é que materiais próximos ao tanque pegaram fogo. Os focos também já foram controlados.

"Quero tranquilizar a população no sentido de que não há necessidade de evacuação dos bairros próximos à usina, uma vez que o acidente já está controlado", afirmou o major Nunes, comandante do 11º Batalhão de Bombeiros de Ipatinga.

A Usiminas afirma que está monitorando a presença de gases nos bairros do entorno da planta fabril e, até agora, não foram registradas anormalidades. Ainda assim, entre os moradores, a explosão e a ordem para esvaziar partes da cidade provocou pânico. Mensagens circularam com o alerta para abandonar a região.

Há dois dias, de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Ipatinga e Região, um funcionário morreu na usina de Ipatinga devido a um vazamento de gás na tubulação do gasômetro. Luis Fernando Pereira, 38, estava em uma escada, a uma altura de oito metros, quando começou a inalar o gás.

O sindicato afirma que não houve o socorro devido por parte da Usiminas e que o funcionário morreu no local. A empresa foi procurada pela reportagem, mas ainda não comentou o fato.

Vídeos: desdes sociais