Polícia

MP investiga se PMs estão envolvidos em grupo de extermínio responsável por 9 homicídios

17/06/18 - 15h03 - Atualizado em 18/06/18 - 08h02
Arquivo TNH1

Mesmas características, vários pontos em comum. As mortes de nove jovens chamaram a atenção e estão sendo investigadas pelo Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL). O órgão suspeita de um envolvimento de um grupo de extermínio, formado por policiais, que estaria atuando em Maceió há quase um ano. 

De acordo com o promotor de justiça Magno Moura, responsável pela Promotoria do Controle Externo da Atividade Policial, as vítimas foram sequestradas a caminho de casa e executadas com um tiro na cabeça.

“Segundo as apurações, pessoas que se identificaram como policiais militares foram as últimas pessoas que teriam abordado os jovens nas distintas localidades. Isso nos chama a atenção, pois a nossa missão é evitar o excesso, o abuso, e a ilegalidade” disse.

O promotor de justiça acredita que o grupo formado por no mínimo seis policiais estaria realizando uma "limpeza social" e pessoas com envolvimento com tráfico de drogas, roubos, furtos e outros crimes seriam alvos de suas ações. 

"A Policia Militar é uma instituição séria, tem pessoas comprometidas na Segurança Pública e muitos deles não compactuam com o erro. Quando passa de um limite, temos que agir. Na ideia de "bandido bom é bandido morto", uma limpeza social pode estar acontecendo", salientou.

Em seis dos nove casos, os bandidos se aproximaram das vítimas em um carro, de cor prata, e anunciaram que se tratava de uma abordagem policial. Porém, eles não estariam com mandados em mãos e devidamente fardados. De acordo com relatos de testemunhas, seriam supostos policiais encapuzados. 

Sobre a participação de um líder, o promotor afirmou que é algo que o MPE ainda não definiu. Segundo Moura, as investigações estão em curso e mais informações divulgadas neste momento atrapalhariam os resultados que o órgão busca.

“Não temos nenhuma indicação precisa se eles agem por força do momento, ou por decisão entre eles de deliberarem a execução, ou se também é algo planejado por alguém, um superior hierárquico", limitou-se.

Casos

Janeiro de 2017

Mateus Santos Nascimento, de 19 anos foi surpreendido na tarde de terça-feira, 10 de janeiro de 2017, na cidade de Rio Largo, próximo à Igreja Santa Terezinha, por três homens encapuzados e fortemente armados, que chegaram em um Renault Sandero, de cor prata e placa não anotada.

Os sequestradores, segundo testemunhas, renderam a vítima e a colocaram à força dentro do veículo. As informações foram repassadas pelo pai de Mateus, que contou à polícia que os bandidos usavam balaclavas e estavam armados no momento em que o jovem foi levado. O corpo do rapaz foi localizado na manhã doa dia seguinte, com um tiro na cabeça, em uma estrada de barro no Loteamento Jacarepaguá, também em Rio Largo.

Outubro de 2017

Kelven da Silva Nascimento, de 21 anos, foi sequestrado, segundo a família, na madrugada de terça-feira, 17 de outubro de 2017, por homens encapuzados que se identificaram como policiais. De acordo com uma prima de Kelven, Daniella Christnia Silva de Oliveira, um dos homens segurava um papel que dizia ser um mandado de prisão. O corpo dele foi encontrado próximo ao terminal de ônibus do Village Campestre, em Maceió, dois dias depois.

No dia 27 de outubro de 2017, Eduardo Henrique da Silva, de 26 anos, teria sido levado de sua própria residência, no bairro do Santos Dumont, parte alta de Maceió. Ele achado morto, com quatro tiros, no dia seguinte, no Benedito Bentes.

Dezembro de 2017

Anderson Lynniken , de 21 anos, teria sido levado de casa no dia 23 de novembro de 2017, no bairro do Jardim Petrópolis 2,  parte alta da capital alagoana. Segundo familiares, o jovem foi levado de casa por homens encapuzados, por volta das 16h, no conjunto João Sampaio II, bairro Petrópolis.

Alysson Rodrigo Santos da Silva teria desaparecido no sábado, 17 de dezembro, em Maceió. O jogador de basquete e estudante de Administração teria sido raptado por dois homens encapuzados no momento em que passava pela Praça da Faculdade, no Prado.

Segundo Jaqueline da Silva, amiga do jovem, ele teria voltado de uma partida de basquete e estava com um amigo quando duas pessoas armadas realizaram a abordagem. Os supostos criminosos se identificaram como policiais, mas não estavam usando uniforme e nem carro plotado. Eles estavam em uma Saveiro, de cor e placa não identificada. O amigo nada sofreu. Uma ossada que pode ser da vítima foi achada no dia 9 de janeiro deste ano no Povoado Cavalo Russo, em Marechal Deodoro.

Fevereiro de 2018

Humberto Tiago de Araújo Neto teria desaparecido na quinta-feira, 1º de fevereiro de 2018, no bairro do Trapiche da Barra. A família denuncia que ele teria sumido depois de ser abordado e levado por policias em uma viatura do Batalhão de Policiamento de Trânsito.

Robert Kennedy Paes da Silva, 20 anos, desapareceu na quinta-feira, dia 22 de fevereiro de 2018, de sua própria residência, situada na Praça da Bíblia, em São Miguel dos Campos.

Março de  2018

Alberto Luiz Monteiro Xavier Lins, de 18 anos, no bairro de Antares, em Maceió, teria desaparecido no dia 16 de março, após o irmão dele, Adalberto Xavier, ter se envolvido em uma confusão com um policial militar.

Junho de 2018

A família do jovem Alberto Luiz Monteiro Xavier Lins, de 18 anos, encontrado morto em abril, um mês depois de desaparecer no bairro do Antares, parte alta de Maceió, perdeu mais um familiar de forma violenta na quinta-feira, dia 14 de junho. O irmão dele, Adalberto Monteiro Xavier, de 17 anos,  foi assassinado com oito tiros, na casa de um parente, também no Antares.