Alagoas

"Você tem segundos para tomar uma decisão", diz motorista de ônibus em que mulher teria sofrido assédio sexual

15/08/18 - 11h47 - Atualizado em 15/08/18 - 11h51
Homem fugiu enquanto era contido por passageiros | Reprodução / Vídeo

O motorista que conduzia o ônibus em que uma mulher teria sido vítima de assédio sexual, na segunda-feira (13), de manhã, no bairro do Tabuleiro do Martins, em Maceió, conversou com exclusividade com o TNH1 nesta quarta. Traumatizado, ele diz que trabalha com medo de assaltos.

O rodoviário, que pediu para não ser identificado pela reportagem, tem sido responsabilizado pela fuga do homem suspeito de se masturbar no coletivo, da linha Eustáquio Gomes/Iguatemi, porque abriu a porta no momento em que ele era contido pelos passageiros.

Para a reportagem, ele contou que foi vítima de um assalto há cerca de cinco meses, e na ocasião teve uma escopeta apontada para sua cabeça. “De lá pra cá, eu não durmo direito. Tem dias que deito às 23h, acordo às 2h e não consigo dormir mais. As pessoas têm me julgado, por abrir a porta, mas com a confusão dentro do ônibus você tem segundos para tomar uma decisão", disse.

Quando notou a confusão no fundo do coletivo, segundo conta, o motorista não conseguiu ter certeza do que estaria acontecendo, mas acreditou ser um assalto, e tomou a decisão de abrir a porta. “A gente vive isso todos os dias. Eu pensei logo num assalto e abri a porta”, desabafou.

Agora, após o caso ganhar repercussão, ele não sabe como fica o emprego. No momento em que conversava com a reportagem, estava a caminho da empresa, onde iria se reunir com a direção. “Não sei o que vai acontecer. Não sei se vão me demitir, se vou ser suspenso”, desabafou.

Orientação do sindicato para casos de violência

O presidente do Sinttro/AL (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Alagoas), Sandro Regis, disse que a instituição repudia qualquer tipo de assédio e que orienta motoristas e cobradores sobre  como agir em casos como esse.

“O sindicato recomenda que leve o carro para a Central de Flagrantes, para que os procedimentos cabíveis sejam tomados, mas eu compreendo a ação do motorista, que sofreu um assalto recente e teve uma arma apontada para a cabeça. Ele pode ter se confundido com o tumulto”, disse.

A assessoria de comunicação da SMTT (Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Maceió) informou, através de nota encaminhada à imprensa, que solicitou a abertura de um procedimento administrativo na empresa para avaliar a conduta do rodoviário e orienta aos passageiros a denunciar os casos de assédio através do telefone 181.

Confira a nota na íntegra:

“Sobre o caso de suposto assédio sexual registrado no transporte coletivo, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) informa que já solicitou a abertura do processo administrativo à empresa que faz a linha 607 - Eustáquio Gomes/ Iguatemi para que a conduta do motorista seja apurada. Para formalizar a denúncia sobre o agressor, o órgão orienta que a população ligue para o Disque Denúncia da Polícia Militar, no número 181”.

O portal TNH1 divulgou no dia 07 de agosto que Maceió registra, em média, 35 assaltos a ônibus por mês, segundo dados do Sinturb (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros).

A empresa de ônibus, Real Alagoas, foi procurada, mas ainda não se pronunciou sobre o assunto. A reportagem ligou para o gerente da empresa, Francisco Pina, mas ele não atendeu nossas ligações.