Polícia Militar ocupa dois presídios do complexo prisional de Maceió

por
11/01/2017 - 11:28 - Atualizado em 11/01/2017 - 16:58
(Crédito: Bruno Protasio TNH1)

Policiais Militares realizam, desde o começo da manhã desta quarta-feira (11), uma nova operação de varredura nos presídios Ciridião Durval e Presídio de Segurança Máxima (PSM), do sistema prisional alagoano.

As informações foram confirmadas pela assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) e pelo chefe especial das Unidades Penitenciárias, José Oliveira Neto, ao repórter Bruno Protásio, que afirmou que a operação de hoje é uma continuidade das anteriores.

“O objetivo é saturar e encontrar objetos ilícitos. As operações são realizadas com base em dados de inteligência e na sensibilidade dos agentes penitenciários, que estão nos corredores das unidades”, revelou Oliveira Neto. Ele disse que seis operações desse tipo já foram realizadas em Alagoas.

Apenas no presídio Baldomero Cavalvanti, mais de mil presos foram remanejados de pavilhões para que fiquem separados de detentos de facções rivais. O objetivo é evitar conflitos como os que ocorreram em Manaus (AM) e Boa Vista (RR).

Na segunda-feira (9) uma operação do mesmo tipo ocorreu no presídio Baldomero Cavalcanti, onde aparelhos de telefones celulares, armas artesanais e drogas foram encontradas. Ainda na segunda-feira o governador Renan Filho assegurou que Alagoas está em sintonia com as medidas tomadas em âmbito federal para conter avanços das rebeliões no Brasil.

Ontem (10), o juiz titular da 16ª Vara de Execuções Penais, José Braga Neto, apresentou, com exclusividade à equipe da TV Pajuçara, centenas de celulares, carregadores, drogas, um tablet e diversas garrafas PET com uísque, como materiais apreendidos no Sistema Prisional de Maceió entre os anos de 2015 e 2016.