Presídio que registrou fuga no sábado tinha detentos sem farda, diz Sindapen

06/09/2016 - 12:30 - Atualizado em 06/09/2016 - 12:35
(Crédito: Reprodução / Vídeo)

O Sindicato dos Agentes Penitenciários de Alagoas (Sindapen) revelou nesta terça-feira (06) que nem todos os detentos do Presídio de Segurança Máxima possuíam fardamento, até hoje. A declaração vem três dias depois da fuga do reeducando Samuel Teodósio dos Santos, após supostamente trocar de roupa com uma visita.

De acordo com o presidente do Sindapen, Kleyton Anderson, 40 fardas foram enviadas à unidade penitenciária hoje, mesmo a gestão do presídio tendo feito pedidos de envio de uniformes antes da fuga.

“Muitos presos usam roupa normal. Foi solicitado fardamento muitas e muitas vezes pela gestão anterior. Só hoje chegaram 40 fardas, provando que eles tinham disponíveis”, criticou.

O presidente também fala que a quantidade de agentes penitenciários que realizam a guarda do PSM varia de dois a quatro, a depender do plantão, sendo insuficiente para fazer a revista adequada dos visitantes.

“A estrutura do presídio não foi pensada para ocorrer visita. O local onde fazemos a conferência é um galpão aberto e, não, um corredor, onde você possa parar todo mundo”, relata.

Mudança de gestão

Após a fuga, o gestor do Presídio, Helber José Mendonça Medeiros, foi exonerado. Por meio de portaria publicada na edição desta terça do Diário Oficial do Estado, a Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) nomeou o agente José Antunes Oliveira Neto para o cargo. Ele exercia atualmente a função de chefe especial de Unidades Penitenciárias.