4 hábitos dos haters que você deve evitar para ser mais feliz

19/05/2017 - 16:35 - Atualizado em 19/05/2017 - 16:48

Alguns hábitos vistos diariamente na internet não são nada legais. Pelo contrário, ajudam a disseminar ódio, preconceito, discriminação e opressão. E por isso mesmo devem ser evitados para manter uma ambiente positivo e pacífico à nossa volta, e aumentar o nosso bem estar.

Além de evitar ler posts e comentários de ódio e extremistas nas redes sociais, é essencial não cairmos na armadilha de responder com a mesma moeda, ou seja, de não nos tornarmos haters também. Não caia na rede do “haters gonna hate!”

Atitudes que podem te transformar num hater

Para ajudar a entender esse comportamento nocivo, separamos 4 hábitos dos haters que você deve evitar para ser mais feliz. E se identificar que pratica algum desses hábitos, policie-se para evitá-los.

1. Agressividade

Uma das principais características dos haters é a agressividade: nas palavras, nos atos, nos ataques e até mesmo na exposição de seus pensamentos. Com uma atitude geralmente extremista e radical, os haters não perdem a oportunidade de se posicionar sobre algo de forma agressiva, usando mais palavrões do que argumentação.

A agressividade está bem longe do conceito de felicidade, por isso, evite-a no seu dia a dia. Isso vale para ações ou reações. Exercite o equilíbrio e a paciência sempre! Seja na internet ou não.

2. Opinião sobre tudo

É bem típico dos haters terem uma opinião firme sobre tudo e fazer questão de expressar a sua opinião, mesmo que não seja solicitada. E geralmente o fazem de forma autoritária, com um tom dogmático de donos da razão. E os haters sempre sabem de tudo, e sabem muito mais do que os outros. E esse é mais um exemplo de comportamento que não deve ser seguido a fim de manter a sua felicidade.

Devemos sim estar bem informados sobre tudo o que está acontecendo e, claro, termos nossas opiniões, mas expô-las sempre, sobre qualquer assunto pode não ser o melhor. Em tempos polêmicos, de crises políticas, é muito comum ver amigos e familiares discutirem devido a comportamentos violentos nas redes sociais quando expressam a sua opinião e posicionamento. Atitude típica dos haters é não aceitar uma opinião contrária ou diferente.

É importante também termos conhecimento do que compartilhamos em redes publicamente, com certeza de que não estamos “falando besteira” ou sendo injustos. Podemos e devemos nos posicionar, mas também relativizar a opinião. Não precisamos ter razão sempre.

3. Não assumir a sua identidade

Haters são, quase sempre, anônimos. Os perfis falsos servem tanto para preservar a imagem do abusador quanto para aumentar a sua coragem em atacar outras pessoas, afinal, é mais fácil ofender alguém quando ninguém sabe quem está fazendo isso.

Assumir a sua identidade é fundamental não só para assumir suas responsabilidades, mas também para garantir a sua felicidade.

4. Exposição nas redes sociais

Pessoas que mostram bastante sobre sua vida nas redes sociais, geralmente, são mais alvo dos haters. É claro que você não precisa se esconder ou mudar hábitos, mas pensar no que vai postar é sempre bom.

Avalie se é realmente necessário compartilhar a situação, pensamento ou informação, que pessoas podem se interessar pelo conteúdo ou quais efeitos a postagem pode acarretar a você. Manter a privacidade em alguns momentos faz bem.

Afinal, o que são haters?

O termo “haters” é derivado do inglês “hate”, que dignifica ódio. A designação surgiu na internet para classificar os usuários que agem como odiadores profissionais.

São pessoas que enchem sites, blogs e redes sociais com mensagens e comentários negativos, perseguição às personalidades conhecidas ou pessoas comuns, entre outros comportamentos de ataque e agressão virtual.

Os haters, em sua maioria, usam perfis falsos para fazer esses ataques. Sua identificação pode não acontecer sem a intervenção de autoridades como a polícia, que pode investigar a origem das mensagens.

A denúncia é o melhor meio para intimidar e cessar a ação dos haters na internet. Tentar resolver o problema sozinho ou partir para o ataque não é a melhor saída.

 

Fonte: Hintigo