Candidatos apontam irregularidades e pedem revisão nos resultados do concurso dos Bombeiros

13/03/2018 - 15:44 - Atualizado em 13/03/2018 - 16:07
(Crédito: Erik Maia/TNH1)

Cerca de vinte candidatos alegam irregularidades no teste físico do concurso do Corpo de Bombeiros de Alagoas, que aconteceu no último dia 1º, em um colégio particular, no bairro da Jatiúca, em Maceió.

Uma comissão formada por concurseiros reprovados nos testes físicos entrou com um pedido de ajuda na Defensoria Pública de Alagoas, para que o órgão reveja os resultados junto aos Bombeiros.

De acordo com a assessoria de comunicação da Defensoria Pública, os candidatos que se sentem lesados alegam que a desclassificação ocorreu devido a diversas irregularidades nos cronômetros analógicos utilizados para medir o tempo das provas de natação, além de as avaliações do tempo terem sido feitas individualmente.

A assessoria informou também que o defensor do Núcleo de Causas Atípicas, Fernando Rebolças, vai encaminhar um ofício ao Corpo de Bombeiros, solicitando revisão dos resultados ainda esta semana.

"A intenção da defensoria é recolher mais informações com o Corpo de Bombeiros, imagens e outros indícios que possam comprovar as irregularidades apontadas pelos candidatos”, salientou a assessoria.

Corpo de Bombeiros rebate reclamações

Em contato com a assessoria do Corpo de Bombeiros, o TNH1 foi informado que o órgão não recebeu qualquer notificação da Defensoria Público e, por isso, não pode se posicionar oficialmente sobre o caso.

No entanto, o setor de comunicação dos Bombeiros fez questão de esclarecer que em nenhum momento foram utilizados cronômetros analógicos na prova de natação e que a avaliação dos candidatos foi conforme o tempo mínimo estipulado no edital, de 51 segundos para homens e 57 segundos para mulheres, e não analisado individualmente como a comissão alega.