Caso Giovanna: Mirella Granconato é absolvida de homicídio e condenada por ocultação de cadáver

11/10/2017 - 20:22 - Atualizado em 11/10/2017 - 21:02
(Crédito: Reprodução/Ascom TJ-AL)

Após horas de julgamento, Mirella Granconato foi absolvida da acusação de autoria intelectual do homicídio da universitária Giovanna Tenório Andrade, ocorrido em 2011, mas condenada por ocultação de cadáver.

De acordo com a assessoria do Ministério Público de Alagoas (MP-AL), Mirella foi condenada a menos de quatro anos pelo crime de ocultação, e deverá cumprir a pena em liberdade. A ré deve cumprir serviços prestados à comunidade, estipulados em uma hora por dia.

O juiz John Silas determinou ainda que Mirella pague indenização de R$ 20 mil à família de Giovanna.

Após a sentença, Silas chegou a afirmar que “houve incoerência” na decisão do júri, ainda segundo a assessoria do MP-AL.

A expectativa da família de Giovanna, de acordo com o pai da vítima, em entrevista ao TNH1 antes do julgamento, era de que Mirella fosse condenada à pena máxima por homicídio duplamente qualificado, que é de 30 anos, mais a condenação máxima de quatro anos pela ocultação de cadáver.