Diretor da Record TV participa de debate em Maceió sobre relação entre Justiça e Mídia

25/05/2018 - 11:59 - Atualizado em 25/05/2018 - 14:30
(Crédito: TNH1 / Letícia Cardoso)

A relação entre a mídia e o poder judiciário avança ao longo dos anos, mas ainda há um longo caminho a percorrer. O tema foi debatido na manhã desta sexta-feira, 25, durante o 23º Congresso Brasileiro de Magistrados, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió.

O presidente da Rede Record TV de Televisão, Luís Cláudio Costa, esteve presente para participar da mesa de debate ‘Mídia e Poder Judiciário’ e considera o evento um grande passo para construir uma relação melhor entre as duas partes. Para ele, uma das maiores dificuldade atualmente é a questão de preservar informações, como fontes e processos em segredo de justiça. Mas ele acredita que a solução passa pela compreensão mútua.

“Quando a gente senta para discutir, compreende as dificuldades do outro e faz com que eles também saibam quais as nossas. Somar essas necessidades é encontrar um caminho para a evolução na maneira de comunicar. Dessa forma, construímos um país melhor para todos nós, com informações mais seguras”, expôs.

A diretora de Comunicação Institucional da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Karen Francis Schubert Reimer, conversou com o TNH1 e explicou que o Poder Judiciário procura se adaptar à nova realidade sem ultrapassar os limites e restrições que os juízes têm que seguir.

“Historicamente sempre se teve uma grande dificuldade de comunicação com a mídia e a população em geral através dela, isso porque nossa função conflita com a comunicação. Vivemos uma nova realidade e vimos a necessidade de manter uma ponte, criando um caminho para que os jornalistas não tenham que obter a informação de outra fonte”, explica Karen.

Os componentes da mesa comentaram ainda sobre as "fake news" ou notícias falsas, que se propagam em grande velocidade. O grande desafio para as duas partes é entregar à população uma informação correta e com credibilidade.