Geólogos iniciam mapeamento no Pinheiro nesta terça

19/06/2018 - 11:53 - Atualizado em 19/06/2018 - 11:55
(Crédito: Secom Maceió)

A Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), órgão responsável pelo Serviço Geológico do Brasil, inicia nesta terça-feira (19), em Maceió, uma nova etapa do estudo que busca identificar as causas das fissuras no bairro do Pinheiro. Uma equipe composta por dez geólogos de várias regiões do país chegou à capital nesta segunda-feira (18) e já se reuniu com técnicos da Defesa Civil de Maceió, que integra o grupo de trabalho criado para investigar a ocorrência do fenômeno.

De acordo com Sandra Fernandes, geóloga da CPRM, a equipe trabalhará na elaboração do mapa de evidências de movimentação do terreno, processo que se dará por meio de visitas a todos os locais já georreferenciados pela Defesa Civil de Maceió, desde o registro da ocorrência de fissuras. O trabalho começa nesta terça e segue com levantamentos até a próxima semana.

“Nós vamos levantar, ao longo do bairro, os pontos onde existe evidência de movimentação e vamos quantificar por grau de intensidade. Esse mapa vai servir de subsídio para que a Defesa Civil e o Ministério da Integração Nacional adotem as medidas necessárias a partir do que for identificado no mapeamento e também vai orientar a etapa seguinte em relação à investigação, mostrando em quais áreas a geofísica deve fazer seus levantamentos. O nosso trabalho vai consistir em um mapa e um relatório que vai indicar as áreas mais críticas no bairro, os locais em que os órgãos envolvidos no grupo de trabalho devem ter uma atenção maior”, explica Sandra Fernandes.

Foto: Ascom Semds

Estudos

Os estudos e levantamentos necessários em relação ao bairro Pinheiro estão sendo realizados desde o mês de fevereiro, quando houve o registro do fenômeno na região. Por meio da Defesa Civil Municipal, a Prefeitura viabilizou os primeiros levantamentos técnicos com a CPRM, além da colaboração de doutores em geologia e geofísica da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

A partir do relatório preliminar elaborado pelos estudiosos, que não identificaram anomalias que justificassem a ocorrência e recomendaram estudos mais aprofundados, a Prefeitura acionou o Governo Federal e um grupo de trabalho interinstitucional foi formado para dar continuidade aos levantamentos. Este grupo reúne a Defesa Civil Nacional, o Serviço Geológico do Brasil e a Agência Nacional de Mineração para que, juntos ao Município, atuem conforme suas competências para identificar as causas e resolver o problema.

A vinda dos geólogos faz parte do cronograma do grupo de trabalho e deve definir os equipamentos e técnicos necessários que devem ser viabilizados pelos órgãos federais para atuação no Pinheiro nas etapas seguintes.

Fonte: Ascom Semds