Maceió está entre as capitais que ofertaram maior reajuste salarial

11/07/2018 - 16:42 - Atualizado em 11/07/2018 - 18:33
(Crédito: Arquivo)

A proposta de 3% de reajuste salarial ofertado pela Prefeitura de Maceió aos servidores municipais é o maior índice ofertado ao funcionalismo público entre as capitais brasileiras. Devido à crise financeira em que se encontra o País, além de Maceió, apenas oito capitais concederam aumento aos servidores este ano e nenhuma superou os três pontos percentuais. 

De acordo com o Fórum Nacional de Secretarias Municipais de Administração das Capitais (Fonac), são elas: Recife (1,81%), Fortaleza (2,95%), Palmas (2,07%), Vitória (3%), Florianópolis (2%) e Boa Vista (2,95%). Teresina e Belém seguem a proposta da capital alagoana e também ofereceram 3% de aumento. Em Maceió, os servidores cobram mais de 15% de reajuste, o que para os gestores, é um percentual muito acima do que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) permite. 

“A proposta feita este ano é a maior que pudemos ofertar, tendo em vista a queda da arrecadação, o aumento das despesas do município e a própria LRF. Nossa prioridade ainda é o pagamento da folha salarial em dia e a concessão de benefícios e direitos que sejam sustentáveis para as contas públicas”, comentou o secretário de Gestão, Reinaldo Braga. 

De acordo com o Município, desde 2013 os servidores tiveram um ganho acumulado de 26,5%.  Em 2013, a Prefeitura concedeu reajuste de 9%; em 2014, 7%; em 2015, 6%, e em 2016, 4,5%. Além disso, existe o chamado crescimento vegetativo da folha, que acompanha a carreira dos servidores e o anuênio, que fica em torno de 3,5% ao ano. 

“O Município não deixou de implantar as progressões por titulação, as insalubridades e o 1% de anuênio. Temos que administrar a cidade tendo como base a responsabilidade fiscal e o compromisso com os servidores e com todos os maceioenses, fazendo a cidade funcionar e mantendo a oferta de serviços à população”, ponderou o secretário.

Fonte: Secom Maceió