Mulher é detida enquanto planejava suposto golpe de estelionato em Delmiro Gouveia

01/02/2018 - 15:00 - Atualizado em 01/02/2018 - 16:49
(Crédito: Metrópole Brasil)

Suspeita de aplicar golpes de falso emprego, Ivone Oliveira da Cunha, 51, foi denunciada por estelionatário ontem em Delmiro Gouveia, na 1º Delegacia Regional de Polícia. A polícia informou que a suspeita não pode ficar detida, já que ainda estava nos atos preparatórios do crime e não havia mandado de prisão.

Segundo informações do Correio Notícia, a suspeita é da cidade de Iúna, no Espírito Santo, e estava em Delmiro há cerca de três meses, hospedada na casa de uma família que foi vítima de seu golpe. Ela contava para as pessoas que era milionária e possuía muitos bens, entre eles uma fazenda de café que ficava no Espírito Santo. Prometendo emprego, ela recolheu documentos pessoais de pelo menos cinco pessoas, afirmando ser necessário para a compra de passagens de avião.

Ivone foi denunciada por uma de suas vítimas, que descobriu seu histórico de golpes quando suspeitou das promessas e decidiu buscar informações sobre ela na internet. O trabalhador encontrou matérias em vários jornais relatando os crimes da mulher e descobriu também que ela já havia cumprido pena por aproximadamente 9 anos e seis meses em Minas Gerais.

A suspeita tem passagens pela polícia também por estelionatário em outros Estados, como Bahia, Minas Gerais e Rio de Janeiro. De acordo com informações do site Brasil Metrópole, Ivone costuma usar métodos parecidos nas cidades por onde passa e também frequenta igrejas evangélicas para extorquir fiéis. Em São Gonçalo do Sapucaí, em Minas Gerais, Ivone chegou a obter R$ 20 mil em quatro meses.

Na Bahia, Ivone já foi acusada de agir em várias cidades do interior, sendo detida em Morro do Chapéu, por crimes de estelionato e falsificação de documento público, usando uma identidade falsa com o nome de Ivone Soares da Silva.

Após o comparecimento à 1º DPR, Ivone devolveu os documentos das vítimas, mas não ficou detida porque não foi constatado o flagrante. A suspeita vai responder judicialmente por tentativa de estelionato.

Um policial civil não identificado contou para o Correio Notícia que Ivone não porta documentos, por isso não se sabe se esse é seu nome verdadeiro, tendo sido presa anteriormente utilizando o nome de Ana Rosa Esteves.