Mercado de Trabalho

Afropresença: evento online debate o negro no mercado de trabalho e oferta 400 vagas

TNH1 com informações da ABMES | 30/09/20 - 11h30 - Atualizado em 30/09/20 - 11h55

De hoje, 30 de setembro, 1 e 2 de outubro de 2020 acontecerá o encontro virtual gratuito “Afro Presença”, com o objetivo de incluir jovens negros e negras universitários no mercado de trabalho. O evento, idealizado e coordenado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), será realizado do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU) e contará com a participação do secretário da Justiça e Cidadania, Paulo Dimas Mascaretti.

Para conhecer toda a programação e demais informações acesse a página Afropresenca.  

A ação ocorrerá das 09 às 21h e oferecerá cerca de 400 vagas de emprego em diversas áreas e cargos. A iniciativa conta com o apoio do poder público, da iniciativa privada e da sociedade civil. Os participantes poderão compartilhar seus currículos, que serão enviados para as empresas. Para se inscrever basta acessar o site e preencher o formulário clicando aqui e ir na aba inscreva-se.. As inscrições estarão abertas até o último dia do evento (02 de outubro).

Diversas empresas participam da iniciativa, entre elas as telefônicas TIM e Vivo, a Coca-cola, Magazine Luíza, Natura, Google, entre outras. 

A idealização do “Afro Presença” é fruto de um incômodo que surgiu no debate organizado pelo Ministério Público do Trabalho com movimentos sociais, empresas, sindicatos, universidades, entidades do poder público e membros sociedade civil. Constatou-se que negros ocupam uma parcela muito pequena de posições estratégicos do mercado de trabalho e em cargos de liderança. Este encontro foi promovido pela doutora Valdirene Assis, Procuradora do Trabalho, e coordenadora da Coordigualdade do MPT-SP e do Projeto Nacional de Inclusão de Jovens Negras e Negros Universitários do MPT.

Com o objetivo prevenir e combater a discriminação racial nas relações de trabalho e valorizar a diversidade racial nos espaços empresariais, em 2020, o Pacto Global da ONU foi envolvido no projeto para trabalhar a redução das desigualdades no setor privado.

Durante o evento serão oferecidas oficinas de capacitação com universidades, empresas, agências de publicidades e escritórios de advocacia. A programação também conta com painéis e debates que discutirão temas que envolvem o racismo estrutural e institucional, o impacto da pandemia para a população negra, as políticas de ações afirmativas, e o racismo no futebol.

O evento terá como parceiros os movimentos sociais Educafro, Geledés Instituto da Mulher Negra, Movimento Negro Unificado, Uneafro Brasil e Unegro, Organização Internacional do Trabalho (OIT), ONU Mulheres.Também apoiam a iniciativa: 99jobs, Governo do Estado de São Paulo (Secretaria da Justiça e Cidadania), Prefeitura de São Paulo, Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), Black Influence, Empodera, Empregue Afro, Eureca, Fecap, Gestão Kairós, Grupo Cia de Talentos, Ideal H+K Strategies, Macho Meyer, OAB, PUC-SP, Revista Raça, Squid, Tribal Wordlwide, UFABC, UFBA e Y&R Brasil, Coca- Cola, entre outras empresas. 

Mercado de trabalho
De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de domicílios (PNAD), as mulheres negras constituem o maior grupo populacional do país (25,3%), porém ocupam somente 0,4% dos altos cargos nas empresas. A população negra representa 55,9% de toda a população brasileira. Uma pesquisa do Instituto Ethos divulgada em 2016 mostrou que somente 4,7% dos cargos executivos das 500 maiores empresas brasileiras são ocupadas por negros.

Já o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) destaca que, nas universidades públicas, os jovens negros e negras são maioria. Os dados do Censo de Educação Superior, do Ministério da Educação, indicam que nos cursos de excelência há uma presença expressiva. Em medicina, por exemplo, os negros são em 27%. Na área de química são 29% e direito 23%.

“O Brasil é o 8º país mais desigual do mundo e não conseguiremos reduzir esse índice se não atacarmos diretamente o racismo estrutural. A Rede Brasil do Pacto Global da ONU iniciou um processo de mobilização do setor empresarial para que ações concretas sejam tomadas e mais negros assumam posição de liderança ocupadas, hoje, majoritariamente por brancos”, Carlos Pereira, diretor-executivo da Rede Brasil do Pacto Global.

Programação


30/09
Painéis com os temas: racismo estrutural empresarial, universidade e inclusão, escolhe profissional e ferramentas de autoconhecimento, jornalismo, marketing, artes cênicas, educação física, relações internacionais, economia, farmácia, ciência, combate ao racismo no futebol, impacto da crise de COVID-19 para a população negra, letramento racial, entre outros.

01/10
Painéis com os temas: advocacia, turismo, moda, gastronomia, mercado de luxo, indústria química, telecomunicações, tecnologia, mitos e verdades em processos seletivos, religiosidade sob a perspectiva negra, como usar o LinkedIn, políticas de ações afirmativas, entre outros.

02/10
Painéis com os temas: saúde, expoentes negros na medicina, veterinária, engenharia e construção, arquitetura e urbanismo, agronegócio, meio ambiente, RH, indústria automobilística, igualdade de oportunidade e estratégias para combater o racismo institucional, LGBTQ+ sob a perspectiva negra e um show de encerramento.