Brasil

Alagoano Pedrinho e mais 14 brasileiros desembarcam em SP após dias de tensão na Ucrânia

TNH1 com Metrópoles | 01/03/22 - 10h30
Reprodução/Instagram

Um grupo com 15 brasileiros, formado por jogadores contratados por times da Ucrânia e seus familiares, desembarcou na manhã desta terça-feira (1/3) no aeroporto internacional de Guarulhos, em São Paulo. Para chegar ao Brasil, todos embarcaram em voos de países da Europa, após fugirem por terra, cruzando a fronteira da Ucrânia.

Entre os passageiros estão três jogadores do time do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, o meia alagoano Pedrinho, o lateral do Dodô, e o volante Maycon. Outro integrante do grupo é Renan Oliveira, atleta do Kolus, da Ucrânia.

"Enfim voltando pra casa, e pensando em tudo aquilo que passamos e refleti que tudo que tivermos que fazer, faça de imediato, abrace, fale que ama, demonstre afeto, pois o dia de amanhã não sabemos o que pode acontecer. Foram dias difíceis que passamos, sem saber o que poderia acontecer conosco, todas as vezes que em falava com minha família me despedia como se fosse a última vez, pois não sabia se voltaria a falar com eles e em todo momento demonstrando força para que ninguém ficasse mal, mas destruído por dentro e com medo", começou Pedrinho em publicação no Instagram.

"E para Angelina, minha filha.. você tão nova e ter passado por tudo isso, toda força que eu demonstrava ter, era através de você, teve horas que eu não pensava mas sobre mim e sim sobre você e sua mãe saírem daquela situação, obrigado amor por em todo momento ter me fortalecido e me ajudado quando mais precisei, pois sem você não teria forças para passar por isso. [...] Parem com a guerra, Stop war", continuou.

Confira a postagem do alagoano Pedrinho nas redes sociais:

“A gente saiu sem pegar nada, apenas leite e mamadeira. Meu sogro pegou duas maçãs”, afirmou Lyarah Vojnovic Barberan, esposa do jogador Maycon, do Shakhtar Donetsk, ao falar sobre a decisão de fugir da Ucrânia.

Os jogadores brasileiros do Shakhtar contaram que se refugiaram inicialmente em um hotel do time em Kiev, onde havia um bunker de proteção contra bombardeios.

Com a intensificação dos ataques na Ucrânia, os jogadores foram alertados de que ficaria cada vez mais difícil fugir do país.

Disputa por vaga em trem 

Com ajuda da UEFA e de federações de futebol, os brasileiros do Shakhtar fugiram de trem para a fronteira da Moldávia, de onde seguiram para a Romênia e deram início ao embarque de volta para o Brasil.

“A gente saiu de Kiev no sábado à tarde. No trem havia pessoas de várias nacionalidades, cada um querendo lutar por uma vaga”, relatou a mulher de Maycon.

O jogador Renan, do Kolus, também descreveu o desafio de chegar até a fronteira e sair da Ucrânia.

“A gente estava em Kiev, teve que pegar uma van até uma cidade próxima à fronteira da Romênia. E lá, a gente teve de ir caminhando durante umas oito horas”, contou Renan, que mencionou ainda a incerteza de não saber se seria possível ou não ter a permissão para sair do território ucraniano.

Relato em rede social

Nos últimos dias, Maycon e Pedrinho relataram em suas redes sociais o processo que enfrentaram para sair da Ucrânia, após o início da guerra no país. Eles confirmaram a saída do território ucraniano na segunda-feira (28/2).

Quando teve início o conflito, Maycon e Pedrinho estavam entre os brasileiros que buscaram refúgio no bunker de um hotel em Kiev.

“Graças a Deus conseguimos sair da Ucrânia, e vamos iniciar nossa volta ao Brasil. Gostaria de agradecer a cada mensagem e pensamentos positivos, mas principalmente a cada oração direcionada a nós”, escreveu Maycon em publicação no Instagram, após cruzar a fronteira da Ucrânia.