Mundo

Alemanha inaugura 'prisão Covid' para quem se recusa a cumprir quarentena

Metrópoles | 27/01/21 - 23h36

A Alemanha está disposta a aumentar o rigor em relação aos que descumprem as regras do isolamento social. O país disponibilizou seis celas em uma prisão na cidade de Neumünster, no estado de Schleswig-Holstein, para prender pessoas que não mantêm a quarentena.

A “prisão Covid” foi inaugurada em janeiro e conta com 40 policiais aposentados que se voluntariaram para vigiar os presos. O espaço faz parte de anexo inutilizado de um centro para jovens infratores. Ao redor da cadeia, há cercas de arame farpado e câmeras de segurança 24 horas.

A instalação tem como objetivo conter pessoas que se recusam a se isolar adequadamente após viajar, serem expostas a um contato de alto risco ou que tenham recebido resultado positivo para Covid-19 e, mesmo assim, não permanecem em casa.

De acordo com autoridades locais, as pessoas serão presas somente como um “último recurso”. Antes, é preciso que haja evidências claras de que o suspeito quebrou a quarentena antes do governo emitir uma multa e ordem judicial.

A cadeia não é como as tradicionais, contudo. Os presos podem ter televisores, laptops e telefones celulares. As camas são confortáveis e também há apoio psicológico disponível para quem estiver enfrentando dificuldades de lidar com o isolamento forçado.

Em entrevista ao jornal Deutsche Welles, Sönke Schulz, membro do conselho distrital alemão, disse que “o isolamento de pessoas suspeitas de estar infectadas em suas próprias casas é um elemento essencial para manter a taxa de infecção sob controle”.

Esforço para servir de exemplo

A sentença máxima da cadeia Covid é de 14 dias, porém Schulz frisa que, neste período, está incluso o tempo que o governo alemão levará para coletar provas, aplicar a multa e emitir a ordem judicial. Segundo ele, ninguém será obrigado a permanecer preso por mais tempo do que o período normal de quarentena.

Peter Schröder, vereador de Neumünster responsável pela cadeia, disse que o espaço será usado principalmente como uma detenção do que uma prisão propriamente dita. “Esperamos que o esforço sirva de exemplo”, disse ele em entrevista coletiva na última semana.

Até agora, poucas pessoas foram presas por descumprirem as regras da quarentena alemã. A decisão de criar o espaço foi tomada após diversos casos de indivíduos que se recusaram a cumprir as medidas de isolamento social, especialmente após testarem positivo para Covid-19.

Um dos principais casos ocorreu em 2020, quando uma pessoa com coronavírus comprovado viajou de trem por quase 100 km, passando por várias cidades, em busca de drogas.