Brasil

Após chuva, Fortaleza amanhece com ruas alagadas e casas inundadas

Diário do Nordeste | 25/02/19 - 08h31
Natinho Rodrigues/Diário do Nordeste

A Capital amanheceu esta segunda-feira (25) ainda sofrendo as consequências da forte chuva de 120,3 milímetros entre o sábado (24) e o domingo (25). Algumas das principais avenidas da cidade continuam alagadas, complicando o tráfego de veículos, e casas estão inundadas. Os principais transtornos estão em comunidades próximas às margens do Rio Cocó, cuja barragem sangrou ontem.

As precipitações foram as maiores do ano em Fortaleza.O forte tempotal também atingiu todas as regiões do Estado.

De acordo com a Autarquia Municipal de Trânsito (AMC), os agentes estão orientando o trânsito nas vias em que há alagamentos. São elas: Avenida Alberto Craveiro, Avenida Raul Barbosa, Rua Holanda e Rua Pedro Dantas.

Pelo menos três grandes avenidas da Capital têm trechos interditáveis, com uma quantidade de água que chega à cintura de quem ousa atravessar a pé.Na Av. Perimetral, onde até uma viatura do Corpo de Bombeiros ficou presa ao cair num buraco, agentes da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) orientam o tráfego com a interdição causada pelo alagamento na altura do posto de gasolina Boa Vista.

A mesma dificuldade enfrentam os motoristas que trafegam pela Av. Alberto Craveiro, próximo à entrada do Bairro Dias Macedo. A dificuldade de atravessar o trecho alagado dura desde a manhã do domingo. Apenas carros de maior porte arriscam a travessia no trecho alagado. O trânsito está complicado nos dois sentidos, mas principalmente quem trafega da Aerolândia para o Aeroporto. No local três carros acabaram tendo problemas mecâncicos ao passarem pela via.  

Na Av. Raul Barbosa, na altura do do Bairro Aerolândia, alguns carros começaram a trafegar na contramão para fugir da "lagoa" formada na via. Outros condutores atravessaram o trecho pelo canteiro central. Nos dois sentidos, filas quilométricas se formaram e alguns carros apresentaram problemas e ficaram pelo caminho.

No domingo, o açude do Rio Cocó atingiu 100% da capacidade e sangrou, informação confirmada pelo Portal Hidrológico da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh). Foi a 5ª barragem do Estado a atingir a totalidade em 2019.

Essa é a principal razão apontada por moradores do Conjunto São Cristóvão para as ruas ficarem alagadas e residências inundadas até a madrugada desta segunda. Pela manhã, a água já havia diminuído. Residências também ficaram cheias d'água na comunidade do Lagamar, na Aerolãndia.

Agentes da AMC

De acordo com a Autarquia Municipal de Trânsito (AMC), agentes estão orientando o trânsito em alguns pontos diferentes da capital de alagamentos, são eles: Avenidas Alberto Craveiro, Avenida Raul Barbosa, Rua Holanda e Rua Pedro Dantas.