Brasil

Após concluir contrato com governo federal, Butantan entrega doses da Coronavac diretamente para 5 estados

Metrópoles | 22/09/21 - 15h29
Breno Esaki / Agência Saúde DF

O Instituto Butantan realizou nesta quarta-feira (22/9) repasses diretos de doses da Coronavac aos estados do Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso, Pará e Piauí. Os estados firmaram contratos com a entidade para comprar vacinas, para ter imunizantes além daqueles repassados pelo governo federal por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI).

A entrega foi marcada por um evento que reuniu o governador João Doria (PSDB) e líderes de quatro dos cinco estados, de diferentes partidos.

Estavam presentes o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), Wellington Dias (PT), do Piauí, e Helder Barbalho (MDB), do Pará. O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes, não pode comparecer, mas vai se reunir com Doria na sexta-feira (24/9).

Casagrande, do ES, disse que, desde o início do ano, conversa com o Butantan para comprar doses de vacinas, e o instituto havia antecipado que contratos com os estados poderiam ser firmados quando o contrato de aquisição de 100 milhões de doses da Coronavac com o Ministério da Saúde fosse cumprido – o que ocorreu em 15 de setembro.

“Nós tivemos a oportunidade de adquirir 500 mil doses, já recebemos no sábado 200 mil doses, receberemos as outras 300 mil doses nesta semana. E esta compra complementará o PNI, e isso permitirá que a gente aplique a primeira e segunda dose em toda a população acima de 18 anos”, disse o governador do Espírito Santo.

Wellington Dias, do Piauí, destacou a união suprapartidária. “Somos governadores de diferentes regiões do Brasil e de diferentes partidos. O que nos une? Um pacto pela vida, um pacto para salvar vidas. Governadores, prefeitos, cientistas, tiveram um papel importantíssimo. Hoje é um dia histórico”, falou.

Serão 2,5 milhões para os cinco estados. Espírito Santo comprou 500 mil doses, o Piauí 200 mil doses, o Ceará, 300 mil doses, o Mato Grosso, 500 mil. Já o Pará ficará com 1 milhão de doses.