Meio Ambiente

Às vésperas da Cúpula do Clima, desmatamento na Amazônia em março é o maior em 10 anos

Metrópoles | 19/04/21 - 21h36
Reprodução / Agência Brasil

A três dias da Cúpula do Clima, evento que reunirá 40 líderes mundiais entre 22 e 23 de abril, o Brasil amargou mais um índice preocupante: em março, a Amazônia registrou o maior desmatamento para o mês nos últimos 10 anos.

Segundo dados do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), a destruição na Amazônia Legal totalizou 810 km² no mês passado – um aumento de 216% em relação a março de 2020.

O boletim divulgado nesta segunda-feira (19/4) mostra que 66% do desmatamento da Amazônia Legal ocorreu em área privadas ou sob diversos estágios de posse. O percentual restante foi registrado em assentamentos (22%), unidades de conservação (11%) e terras indígenas (1%).

Com 35% do total de área verde derrubada da Amazônia Legal no mês de março, o Pará lidera o ranking dos estados que mais desmataram, de acordo com o levantamento do Imazon.

No começo do mês, o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) apurou dados o quais indicam que março bateu recorde nos registros de desmatamento da Amazônia. Foram devastados 367 km², segundo medições do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter).

Este foi o maior alerta para o período, desde a criação da série histórica, em 2015. No mesmo mês do ano passado, 326,9 km² foram desmatados. Antes, o março com mais devastação verificado pelos satélites tinha sido 356 km², no período entre 2017 e 2018.

A Cúpula do Clima foi convocada pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. O governo brasileiro deve ser pressionado para reduzir o desmatamento como forma de ajudar no combate ao aquecimento global.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se reuniu, na manhã desta segunda-feira, com o chanceler Carlos França e os ministros Tereza Cristina (Agricultura), Ricardo Salles (Meio Ambiente), Fábio Faria (Comunicações) e Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil), para tratar da participação do Brasil na Cúpula do Clima.

Antes, o presidente do Conselho da Amazônia Legal, vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB), afirmou que o Brasil “não pode ser mendigo” em relação à participação do país na Cúpula do Clima, na próxima quinta-feira (22/4).