Nordeste

Cabeleireiro morto a tiros havia criado personagem para fazer denúncias

"Fiorela" é uma galinha de plástico que denunciava, de forma humorada pelas redes sociais, problemas na gestão pública de Granja

Diário do Nordeste | 29/08/19 - 18h01 - Atualizado em 29/08/19 - 18h51
Arquivo Pessoal

O cabeleireiro executado a tiros por um homem encapuzado no Conjunto Ceará é um dos criadores da personagem “Fiorela”, uma galinha de plásticoque denunciava, por meio de redes sociais, problemas na gestão pública do município de Granja. O homem estava morando em Fortaleza há cerca de cinco meses, onde montou o salão de beleza. 

Inácio Rocha de Araújo Júnior, 42, cortava o cabelo de um cliente no salão do qual era proprietário, na Avenida H do Conjunto Ceará, quando o suspeito encapuzado entrou no local, mandou o cliente se retirar e atirou contra a vítima. O criminoso fugiu em um veículo que dava apoio.  

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informa que há uma investigação em andamento na 2ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) sobre o caso. 

A galinha Fiorela ficou conhecida em 2018 após a repercussão de um vídeo que mostrava o encerramento de uma sessão na Câmara Municipal de Granja por causa da presença da galinha de plástico na galeria do local para acompanhar a assembleia dos vereadores.   

David Rodrigues, amigo da vítima e também criador da personagem, afirmou que ele e o cabeleireiro costumavam usar a galinha de plástico como porta-voz da população, denunciando problemas na gestão pública da cidade. 

“Confiava muito [nele], era praticamente o único que tinha coragem de botar a cara, ir pra rua”, comentou. 

Os dois viviam em Granja quando a personagem ganhou notoriedade nas redes sociais.