Brasil

Cachorro morto em ataque de abelhas no DF recebeu 200 picadas só no focinho

Metrópoles | 23/07/20 - 15h10
Arquivo Pessoal

Ocachorro Tufão, morto por um enxame de abelhas no Parque da Cidade, no domingo (19/7), morreu como um herói. A tutora do animal, a advogada Luana Iara Evaristo Vieira, de 38 anos, passeava com a mãe e os dois cães da família quando foi atacada por um enxame de abelha. Tufão foi o mais atingido pelas picadas. Socorrido, já na clínica veterinária, os médico descobriram que o cão recebeu 200 ferroadas, todas no focinho. Ele não resistiu aos ferimentos e faleceu.

O caso ganhou repercussão nacional quando, bastante entristecida com a partida do cãozinho, a tutora do animal disse que Tufão a salvou. “Ele morreu no Dia do Amigo para nos salvar. Deu a vida por mim. Está sendo muito difícil. Um dano irreparável”, disse a advogada.

Luana e Tufão eram extremamente apegados. Ao Metrópoles, diz que o pet era praticamente um membro da família. “Meu melhor companheiro”, relembra, ainda baqueada pela perda.

O caso ocorreu no Estacionamento 6 do Parque da Cidade. Luana estava com a mãe – Cleide Evaristo Vieira, de 72 anos – e dois animais de estimação no local, Tufão e Beck, quando foram atacados por um enxame de abelhas.

“Foi tudo muito rápido, assim que eu estacionei o carro e joguei um brinquedo para o Tufão enquanto eu pegava uma cadeira para mamãe no porta-malas, o enxame chegou e começou a nos atacar. Em poucos segundos, estávamos cobertos de abelhas. cheguei a pensar que iríamos morrer se não saíssemos dali”, relatou a advogada.

O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) atendeu outras pessoas que também ficaram feridas e tinham sido encaminhadas ao hospital por populares. Os militares constataram que havia um enxame migratório e avançou sobre pessoas na região.

Herói

O cão mais novo da família, Beck, fugiu no momento do ataque. Tufão ficou no local, segundo Luana, servindo de escudo, para que advogada fugisse. Depois, tentou se esconder debaixo de um carro.

Os animais foram levados a uma clínica veterinária ainda no domingo. Tufão não resistiu e morreu na tarde de segunda-feira (20/7). Ele levou mais de 200 picadas de abelha somente no focinho, além das outras dezenas de marcas que foram encontradas restante do corpo dele.

“Os bombeiros usaram um forte jato d’água com mangueira para espantar as abelhas”, detalhou Luana.

Na terça-feira (21/7), uma equipe do CBMDF realizou ação na Piscina com Ondas, no Estacionamento 7, onde também foi detectado um foco dos insetos. O enxame não tinha ligação com o ataque sofrido por Luana e a sua família.