Nordeste

Canal do Rio Granjeiro transborda e causa transtornos no Crato-CE

Diário do Nordeste | 18/02/20 - 10h30
Lorena Tavares/Diário do Nordeste

O canal do Rio Granjeiro transbordou em alguns trechos, no centro do Crato, na Região do Cariri, no Ceará, após a chuva de 85 milímetros que caiu na região entre segunda-feira (17) e manhã desta terça-feira (18), de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). 

A Avenida Presidente Kennedy, uma das vias próximas do canal, ficou alagada. Carros que tentavam passar pelo trecho não conseguiram. A água que saiu do canal levou lama e lixo para as ruas e prejudicou o trânsito de pedestres. Outro transtorno provocado pela chuva no Crato ocorreu no Bairro Vila Lobo. O córrego transbordou e alagou várias ruas e avenidas.  

O volume dentro do canal subiu por volta das 2h30 da madrugada e permaneceu cheio até as 4h. Na manhã desta terça-feira, a prefeitura do Crato iniciou o trabalho de limpeza do canal. Segundo o secretário interino de infraestrutura da cidade, Carlos Andson, várias secretarias se reuniram para evitar uma possível catástrofe.  

“Nós temos um grupo de comunicação, que acompanha a central de monitoramento, que nos emitiu o alerta por volta das 2h30 da manhã. Então, nós mobilizamos a Guarda Civil, Defesa Civil, Seinfra, Meio Ambiente. Enfim, todas as secretarias necessárias envolvidas para uma possível catástrofe”, afirmou.   

O secretário explica que houve dois pontos de alagamentos. "Um na ponta da Avenida Presidente Kennedy, em frente ao Mercado Municipal Walter Peixoto. Nós fechamos o trânsito e bloqueamos o acesso das pessoas para manter elas em segurança. E, após o volume baixar aqui do canal, mobilizamos a limpeza pública para amenizar a situação e liberar o tráfego”, relatou.

Bacia de amortecimento

Sobre os problemas rotineiros que as precipitações trazem em época de chuva, Carlos Andson afirmou que a prefeitura trabalha para fazer uma bacia de amortecimento que deverá receber toda a água da chuva que vem da Chapada do Araripe e distribuir melhor as águas para o canal.  

“Nós temos duas possíveis soluções. Sendo uma delas mais viável fazer uma bacia de amortecimento montante do canal para receber essas águas que vem proveniente da chapada e soltá-las numa vazão regularizada via comporta. É um projeto custoso, mas o gestor municipal está trabalhando para conseguir recursos para resolver o problema do canal”, destacou.