Mundo

Casal milionário se finge de pobre para furar fila da vacina contra Covid-19

Metrópoles | 02/02/21 - 19h34
Reprodução / Facebook

No Canadá, a história de um casal milionário que furou a fila da vacina contra Covid-19 se fingindo de pobre tem dado o que falar. Rodney Baker, CEO de uma empresa que administra hipódromos e cassinos, e a esposa Ekaterina Baker, que é atriz de cinema, viajaram para uma cidade pequena na fronteira com o Alasca e disseram ser funcionários de um motel.

A cidade de Beaver Creek tem apenas cem habitantes, a maioria autóctone, ou seja, descendente dos primeiros povos a habitar a região. Essas populações indígenas que moram em áreas remotas fazem parte dos grupos prioritários da vacinação no país.

O casal disse trabalhar no motel e mostrou à equipe sanitária documentos de seguro médico da Colúmbia Britânica, onde moram. Segundo eles, passariam pouco tempo trabalhando na cidade e não tinham como comprovar residência.

Os dois tomaram a primeira dose da vacina da Moderna, mas levantaram suspeitas ao pedir transporte para o aeroporto imediatamente. Os responsáveis pela vacinação telefonaram para o motel e confirmaram que o casal não fazia parte do quadro de funcionários. Os Baker também não estavam no endereço onde afirmaram estar hospedados.

Os dois foram encontrados ainda no aeroporto. Cada um recebeu uma multa de 1.150 dólares canadenses, o equivalente a quase 5 mil reais por não seguir a quarentena obrigatória — o casal pode ter que cumprir, ainda, seis meses de prisão.

A chefe da reserva indígena White River se disse preocupada com esse tipo de ação e pediu sanções mais severas ao casal. “Eles deveriam ter vergonha de si mesmos. Colocaram uma comunidade em risco pensando em seu próprio benefício e isso para mim é espantoso”, disse a oficial de saúde da Colúmbia Britânica, Bonnie Henry. (Com informações do El País).