Justiça

Caso Jaciara: júri popular acontece nesta quinta em Coruripe

14/03/19 - 08h05 - Atualizado em 14/03/19 - 08h23
O crime aconteceu em 30 de março de 2017 e corpo só foi encontrado três dias depois | Arquivo Pessoal

O acusado de matar a ex-esposa Jaciara Ferreira dos Santos, encontrada morta, em 2017, na Lagoa do Pau, em Coruripe, vai a júri popular nesta quinta-feira, dia 14. Alberdan de Souza Ferreira confessou na época do crime que sequestrou e estrangulou a vítima.

O júri está marcado para às 9h, na mesma cidade onde aconteceu o crime.

No papel de acusação, o Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL)  pedirá a condenação máxima para Alderban de Souza Ferreira.

Para o Ministério Público, o crime, devidamente planejado, mostra claramente a frieza do assassino que é acusado de feminicídio e ocultação de cadáver. Além disso, o réu ainda cortou o pescoço de Jaciara, já morta, quase causando a degola.

O laudo cadavérico do Instituto de Criminalística deu como causa mortis “traumatismo polimedular-esgorjamento e traumatismo crânio encefálico provocado pela ação de instrumento corto contundente”.

O crime

Jaciara Ferreira tinha 31 anos e trabalhava em um correspondente bancário que emprestava dinheiro em regime de consignação, de onde saiu, no final do expediente, do dia 30 de março de 2017, para se encontrar o ex-marido Alderban de Souza, e não mais voltado.

À época, a comoção da família mobilizou toda a sociedade local e a mídia alagoana, mas três dias após o corpo foi encontrado em Lagoa do Pau. Friamente, Alderban, após o cometimento da barbárie, ainda passou em casa e levou a namorada para comemorar o feito num churrasquinho de Coruripe.

Sendo colocado como o principal suspeito, desde o início, pela polícia, o ex-marido acabou confessando tudo. Imagens de câmeras provaram que a vítima entrou no carro do assassino.