Saúde

Casos de Covid seguem aumentando em Maceió e Arapiraca, aponta Ufal 

Eberth Lins | 23/11/20 - 09h54 - Atualizado em 23/11/20 - 10h06
Foto: Folhapress

As cidades de Maceió e Arapiraca seguem apresentando tendência de aumento de casos do novo coronavírus, segundo o Observatório Alagoanos de Políticas Públicas Para o Enfrentamento a Covid-19, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

O mais recente relatório, divulgado nesta segunda-feira (23), chama atenção também para a estagnação no número de óbitos causados pela doença na capital alagoana, que se mantém inalterável há seis semanas, período em que foram registrados sete casos por semana.  Arapiraca, por outro lado, apresentou redução pela segunda semana consecutiva, após duas semanas de alta.

Gabriel Bádue, coordenador do Observatório. Foto: Ascom Ufal 

O coordenador do Observatório, o pesquisador Gabriel Bádue, explicou que essa estagnação nos casos de óbitos indica 'descontrole da pandemia' na capital. "Considerando que as evidências de controle de transmissão são obtidas a partir da queda simultânea de novos casos e óbitos por um período mínimo de quatorze dias, essa manutenção do número de óbitos há seis semanas, combinada com a alta de novos casos, aponta sinais de descontrole da transmissão do novo coronavírus em Maceió", detalhou.

Como são as duas maiores cidades do estado, o Observatório faz análises isoladas para Maceió e Arapiraca. No geral, segundo os pesquisadores, a incidência de casos de Covid-19 em Alagoas na 47ª semana epidemiológica (SE) foi praticamente igual ao quantitativo do período anterior, enquanto os óbitos mantiveram a tendência de queda com uma redução de duas mortes em relação à 46ª SE.

Com relação ao número de casos suspeitos, foi observada uma redução ao longo das últimas semanas, tendo o Boletim Epidemiológico desse domingo (22) registrado 1.074 casos eminvestigação laboral."Após um período de alto número de suspeitos (que se manteve em quase três mil por algumas semanas), este número voltou a cair, enquanto o número de testes realizados voltou a subir. O número de resultados positivos em relação ao total de testes realizados vem crescendo nas últimas semanas, chegando próximo de 26% na última semana", acrescentou Gabriel Bádue.