Nordeste

Ceará: preso em operação, suspeito de abuso convidava crianças para jogar videogame

Diário do Nordeste | 16/10/20 - 09h26
Hallison Ferreira/Diário do Nordeste

A Polícia Civil do Ceará (PCCE) deflagrou uma megaoperação com intuito de prender foragidos suspeitos de praticarem uma série de crimes sexuais, principalmente contra crianças e adolescentes, no Estado. 75 mandados de prisão foram expedidos pela Justiça Estadual e, até as 17h30 de ontem, 33 pessoas foram capturadas.

As diligências aconteceram dias depois do mês de 2020 que registrou o maior número de crimes sexuais no Ceará. Conforme dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), neste ano foram registradas 1.328 ocorrências deste tipo, sendo 198 casos apenas no último mês de setembro.

O delegado-geral da PCCE, Marcus Rattacaso, destaca que a maior parte dos crimes sexuais contra menores de idade acontece no âmbito familiar. Ou seja, os abusos são realizados por pessoas próximas e que mantêm relação de confiança com a vítima e também com familiares.

Dentre os 33 presos, segundo os investigadores, está um homem que costumava convidar crianças da vizinhança para brincar de videogame na residência do mesmo. Aqueles que aceitavam o convite foram vítimas de assédios.

Perfil

A Polícia não divulgou a identidade de nenhum dos detidos, no entanto destacou que os suspeitos têm de 30 a 70 anos, trabalham nas diversas profissões e têm poder aquisitivo. Há duas mulheres dentre os presos. Elas seriam cúmplices dos crimes sexuais praticados por seus companheiros.

"Há ainda as pessoas acima de qualquer suspeita e com nível financeiro relativamente alto. São os mais diversos crimes sexuais cometidos. Sedução, corrupção de menores, lascívia e por aí vai. A grande maioria já responde por outros crimes e são até reincidentes nos crimes sexuais. Essa operação terá continuidade. A intenção é capturar todos os foragidos e as diligências permanecem em curso", afirma o titular da Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), Gustavo Pernambuco.

Mandados judiciais foram cumpridos na Capital, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e em cidades do Interior, como Umirim e Icó. O delegado-geral acrescenta que, a partir das investigações, a Polícia descobriu dois suspeitos que cometeram crimes e foram condenados no Ceará, mas fugiram para a Bahia.

Denúncias

Rattacaso ressalta a importância de noticiar o crime: "A Polícia precisa destas informações, muitas vezes são pessoas próximas e isso dificulta o acesso das autoridades". Um dos casos recentes que corrobora a proximidade entre vítima e agressor é um crime registrado em Mulungu, no interior do Ceará.

Um professor é suspeito de estuprar e engravidar a própria enteada que, na época do crime, tinha 13 anos de idade. A Justiça decidiu pela prisão preventiva do suspeito, que segue foragido.

Ainda sobre as buscas por criminosos envolvidos em crimes sexuais, o diretor do Departamento de Polícia Judiciária Especializada do Ceará (DPE), Márcio Gutierrez, pontua que as investigações continuam e que a prisão é uma forma de dar a devida resposta à população.

"É importante retirar essas pessoas de circulação porque, pelas investigações, percebemos uma reiteração criminosa. Elas serão encaminhadas ao Poder Judiciário para cumprir suas penas. Conseguimos, com isso, não só reafirmar as leis, mas lembrar que sempre vamos dar respostas à sociedade", finaliza.