Cinema

Cena da tragédia do filme 'Rust' foi adulterada antes da chegada da polícia, afirma defesa de armeira

Revista Monet | 12/11/21 - 14h55 - Atualizado em 12/11/21 - 15h00
A armeira Hannah Gutierrez Reed | Foto: Facebook / Reprodução

A armeira do filme 'Rust' Hannah Gutierrez-Reed está colocando todas as cartas na mesa e subindo o tom em sua defesa em uma possível responsabilização pelo incidente que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins e feriu o diretor do longa Joel Souza. Através de seus advogados, Hannah alega que foi alvo de sabotagem e que está sendo injustamente incriminada.

"Estamos convencidos de que isso foi sabotagem e que Hannah está sendo injustamente incriminada", afirmou Jason Bowles, um dos defensores da armeira, ao TMZ. Até então, os representantes de Hannah haviam apontado para a tese de sabotagem, mas não que o ato criminoso tinha como alvo a sua cliente. No entanto a nova e chocante afirmação é muito mais grave: "Acreditamos que a cena foi adulterada bem antes da chegada da polícia". A impactante denúncia foi divulgada momentos depois do promotor público responsável pelo caso ter zombado e descartado a alegação de sabotagem, dizendo que nenhuma tal evidência apareceu.

O advogado de Hannah disse que seu cliente se encontrou com o vice-xerife do condado de Santa Fé na terça-feira, fornecendo um depoimento completo e continuando a cooperar. Sua equipe jurídica diz que mais informações continuam surgindo além das que o promotor  tem descoberto e exigem que tanto a promotoria quanto o FBI investiguem o que aconteceu com os testes de munição feitas com bonecos cenográficos.

A versão mais aceita até o momento para justificar o incidente está no uso da arma por membros da equipe para prática de tiro ao alvo durante a pausa para o almoço e que um projétil real foi esquecido dentro do revólver e ele devolvido sem perícia prévia para ser usado nos ensaios do longa.