Nordeste

Ceni teve propostas do exterior, e Fortaleza quase fechou com ídolo brasileiro, revela Paz

Gustavo de Negreiros / Diário do Nordeste | 05/03/20 - 15h10 - Atualizado em 05/03/20 - 16h33
ESPN

O presidente do Fortaleza Esporte Clube, Marcelo Paz, falou sobre situações, até o momento, desconhecidas do passado recente do Tricolor de Aço durante entrevista ao programa Bola da Vez, do canal ESPN Brasil, que vai ao ar na noite deste sábado (7).

O dirigente cearense foi entrevistado pelos jornalistas André Plihal, Mário Marra e Andrei Kampff e falou sobre diversos temas, como a importância da permanência de Rogério Ceni no comando do Fortaleza para as pretensões do clube. O Diário do Nordeste obteve com exclusividade algumas respostas dadas pelo comandante tricolor.

Em uma delas, Marcelo Paz falou sobre o período que antecedeu a saída de Rogério Ceni para o Cruzeiro, no meio da temporada 2019. O dirigente se mostrou surpreso com o aceite do técnico para a Raposa, em contexto que contou com outras propostas do futebol internacional prontamente recusadas. 

"A permanência de Rogério Ceni é um marco do futebol nordestino. Ele tem mercado para os grandes clubes nacionais, foi procurado até pelo futebol internacional antes de ir para o Cruzeiro. Recebeu propostas da Turquia e dos Estados Unidos e nunca quis usar as propostas para conseguir algo. Eu não esperava a saída dele para o Cruzeiro. Ele me ligou angustiado e me contou que precisava responder a proposta. Ele deu o treino, conversamos muito sobre tudo, sobre o Fortaleza, sobre questões pessoais. Foi uma conversa de altíssimo nível, sem discussão. E ele viu que aquele momento poderia ser um passo importante na carreira dele. Eu coloquei para ele, com todo respeito ao Cruzeiro, que poderia não ser uma boa naquele momento a ida para lá. Até mais tarde infelizmente culminar com o rebaixamento”.

Em outro ponto interessante da entrevista, Marcelo Paz explicou como foi a negociação com outro ex-ídolo do São Paulo: Paulo Roberto Falcão. O ex-jogador, que brilhou também com as camisas da Seleção Brasileira, Internacional e Roma (Itália), era o técnico favorito para assumir o clube até surgir o nome de Ceni. 

"Eu estive com o Falcão antes de estar com o Rogério. Nosso treinador que subiu era o Zago (Antônio Carlos Zago), carinho enorme por ele. Ele então voltou para o Juventude e ficamos sem treinador. Aí eu recebi um convite para ir até Porto Alegre falar com o Falcão. Quase no mesmo dia, via Bosco (ex-goleiro do São Paulo), soube que o Rogério estava indo para Fortaleza para participar de uma palestra. O Bosco fez o meio-campo para conversarmos. Eu tive uma conversa maravilhosa com o Falcão, mas não tivemos um acerto com ele por questões salariais. Aí conversamos com o Rogério e deu tudo certo. Os dois foram muito em paralelo".

A consolidação do clube nas competições internacionais também foi outro foco do Fortaleza revelado na entrevista:

“Temos que nos consolidar como um time de Série A, não pode ser só uma passagem. Isso vem na gestão, no perfil dos jogadores. E a permanência do Rogério Ceni por muito tempo não é acaso. Eu falo desde 2018 que quero ele no Fortaleza o quanto ele quiser ficar. Houve resultado, houve uma crescente, agora precisamos nos consolidar na Série A, consolidar em competições sul-americanas. Nós adoramos a Sula, invadimos Buenos Aires e pegamos gosto. Temos agora a responsabilidade disso ser permanente”, disse Marcelo Paz, que classificou a permanência de Rogério Ceni no clube como um marco do futebol nordestino e revelou os bastidores da saída do comandante para o Cruzeiro.