Alagoas

Com apoio da Ufal, alagoanos estão confeccionando máscaras em casa com impressoras 3D

Eberth Lins | 29/03/20 - 14h26 - Atualizado em 29/03/20 - 14h42
Protetores faciais confeccionados em impressoras 3D | Foto: Cortesia / Ufal

Um trabalho iniciado pela comunidade acadêmica da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) para ajudar no combate à pandemia do coronavírus (covid-19) foi além dos muros da instituição e agora conta com a colaboração de algumas pessoas em casa.

Eles estão produzindo, em impressoras 3D, protetores faciais que protegem o rosto dos trabalhadores da saúde durante o atendimento para casos em que há o lançamento de secreções contaminadas. A produção será doada a profissionais que atuam na linha de frente no combate ao vírus.

A iniciativa está sendo encabeçada pelo professor Eduardo Setton, do Centro de Tecnologia da Ufal.

“Estava conversando com uma colega professora da Paraíba e ela contou que já estavam fazendo esse trabalho por lá. Foi quando tomei a iniciativa de fazer também aqui na nossa universidade”, disse.

O professor conta que passados alguns dias teve a idéia de pedir a colaboração de pessoas além da universidade para reforçar a produção. “Fizemos um apelo para todas as pessoas que têm em casa uma impressora 3D nos ajudar na produção dessas máscaras. E o retorno tem sido bem interessante, já estamos com 15 pessoas contribuindo na produção”, disse.

Eduardo conta que formou um grupo para reunir todas as pessoas envolvidas na produção e que a próxima etapa é encontrar formas de fomentar os insumos utilizados na produção dos protetores faciais. 

“Estamos trocando informações e as pessoas seguem imprimindo as máscaras com materiais próprios. Mas queremos encontrar meio de custear esses insumos com a ajuda de instituições e empresário, por exemplo, e assim ampliar a produção”, pontuou.

Produção da Universidade

Na Ufal, o trabalho está sendo feito por meio da parceria entre laboratórios de diversas disciplinas e a estimativa é produzir em média 100 máscaras por semana.

De acordo com o professor, se houver demanda e insumos, o grupo também pode produzir nas impressoras 3D respiradores mecânicos e ventiladores para pacientes internados com a covid-19.

“Vamos levantar a demanda e organizar a distribuição desses materiais que deve acontecer por meio da universidade”, complementou Setton.

Quer colaborar?

Quem tiver impressora 3D em casa e queiser colaborar com a produção pode entrar em contato no (82) 9 9323-1945.