Brasil

Conta de luz: após alta de 52% em julho, Aneel aumentará bandeira vermelha em até 58%

Lourenço Flores/Metrópoles | 27/08/21 - 23h04
A mais alta tarifa extra do custo da energia deve subir de R$ 9,49 para um valor entre R$ 14 e R$ 15, a partir de setembro | Daniel Ferreira/Metrópoles

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deve ajustar, em até 58%, a bandeira tarifária – sobretaxa acionada nas contas de luz quando o custo da geração de energia aumenta. Ou seja, a tarifa pode subir de R$ 9,49 para um valor entre R$ 14 e R$ 15, a partir de setembro. A informação é do jornal O Globo.

O valor atual está em vigor desde julho, quando houve aumento de 52%. O custo da geração de energia, entretanto, disparou e exigiu novo reajuste.

O assunto foi discutido em reunião com diversos representantes do governo nesta semana. De acordo com participantes dessa agenda, o Ministério de Minas e Energia sugeriu reajustar o valor da bandeira para R$ 24, o que seria mais que o dobro de aumento, por um período de três meses.

Prevaleceu, porém, a proposta do Ministério da Economia, de cobrar uma taxa entre R$ 14 e R$ 15 por um tempo maior, possivelmente de seis meses. O prazo estipulado será o suficiente para recuperar os reservatórios após o início do período úmido, no fim do ano.

Na quinta-feira (26/8), o ministro da Economia, Paulo Guedes, mencionou a necessidade de encher os reservatórios das hidrelétricas. Por isso, a pasta defende um meio-termo para a cobrança, de forma a manter a taxa por mais tempo, para garantir o pagamento das termelétricas e recuperar as represas.

Desde abril, a pasta federal comandada por Guedes defende, com esse argumento, que a bandeira suba. A tarifa aumentou em julho.