Saúde

Covid-19: OMS indica corticoides após estudos comprovarem redução de mortes

Decisão é apoiada em pesquisas internacionais que demonstraram redução de 1/3 de mortes em pacientes graves tratados com os medicamentos

Metrópoles | 02/09/20 - 14h57 - Atualizado em 02/09/20 - 15h11

A Organização Mundial de Saúde publicou nova diretriz para o tratamento de casos graves de Covid-19 nesta quarta-feira (2/9).

A decisão segue uma revisão de estudos, em formato de meta-análise, realizada pela agência internacional, publicada no Journal of the American Medical Association (Jama) também nesta quarta-feira.

O trabalho compilou resultados de ensaios clínicos feitos em vários países que utilizaram corticoides em tratamentos de casos graves de Covid-19. A administração deste tipo de medicamento durante a internação foi capaz de reduzir a mortalidade entre os pacientes.

De acordo com os trabalhos – dexametasona, hidrocortinsona e metilprednisolona – diminuíram em um terço os óbitos de pacientes com infecções provocadas pelo novo coronavírus. A dexametasona apresentou os resultados mais significativos: queda de 36% nas mortes entre os que foram tratados com o remédio.

Um dos estudos analisados foi feito com pacientes brasileiros e provou que o tratamento com a dexametasona consegue reduzir a necessidade de suporte respiratório. A partir de agora, a OMS recomenda a utilização desta classe de medicamentos em ambiente hospitalar para tratar os casos graves da doença.