Brasil

Covid: país tem semana com menor número de mortes desde abril de 2020

Metrópoles | 26/11/21 - 08h28
De 14 a 20 de novembro, Brasil registrou menor número de casos e mortes por Covid-19 desde o ano passado | Foto: Folhapress

A 46ª semana epidemiológica deste ano registrou o menor número de casos e óbitos provocados pela Covid-19 em 19 meses. No período, que contempla os dias 14 a 20 de novembro, foram computadas 1.365 mortes causadas pela doença. É o menor número desde os dias 12 a 18 de abril do ano passado, quando foram registradas 1.223 vítimas do coronavírus.

O cenário também é melhor no número de casos notificados, já que a última semana foi a com números mais baixos em 1 ano e meio. De 14 a 20 de novembro, 58.312 pessoas foram infectadas pela doença, o menor desde a semana de 26 de abril a 2 de maio de 2020, quando o total de novos casos de Covid foi de 37.887.

Os dados são de balanço divulgado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e foram analisados pelo (M)Dados, núcleo de análise de grande volume de informações do Metrópoles. Para Julival Ribeiro, médico infectologista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), o término do ciclo vacinal da população, aliado às doses de reforço, vem demonstrando que a vacina é a melhor forma de combater a pandemia, associada a outras medidas de proteção.

“O que estamos observando nas últimas semanas são dados positivos: número de casos novos caindo, número de mortes caindo e número de hospitalizações também caindo. Isso se deve à vacina, a melhor estratégia que temos, associada às medidas preventivas, como o uso de máscaras”, afirma Ribeiro.

Na última terça-feira (23/11), o Metrópoles mostrou que o número de internações em unidades de terapia intensiva (UTI) de pacientes com Covid-19 em outubro foi o mais baixo desde março de 2020. Apesar dos bons números, especialistas pedem atenção para o que chamam de retirada “precoce” de medidas restritivas contra a infecção pelo vírus. O anúncio de festividades, como comemorações de Ano-Novo e Carnaval, também preocupa pelas aglomerações e possíveis transmissões que possam ocorrer do vírus.

“É preocupante a decisão de amenizar as medidas, pois, como vemos na Europa, essa decisão tem que ser tomada com cautela e testagem. Para que o que está acontecendo lá não ocorra aqui”, explica Julival, citando a quarta onda da pandemia que o continente sofre.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) vem fazendo alertas recorrentes sobre a situação da Europa. Na última segunda-feira (23/11), durante a conferência de abertura do Congresso Brasileiro de Epidemiologia, uma das diretoras da entidade, Mariângela Simão, afirmou que o mundo está entrando em uma quarta onda da Covid.