Política

CPI da Covid quer convocar Flávio Werneck, dispensado pela Saúde

Metrópoles | 23/07/21 - 16h53 - Atualizado em 23/07/21 - 16h56
Jefferson Rudy / Agência Senado

O vice-presidente da CPI da Covid-19, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou, nesta sexta-feira (23/7), que a comissão vai convocar Flávio Werneck, ex-assessor de Relações Internacionais do Ministério da Saúde. Ele teve a dispensa publicada na edição desta sexta do Diário Oficial da União (DOU).

“Vamos convocar o senhor Flávio Werneck para ir à CPI da Pandemia. Werneck atuava como assessor de Relações Internacionais do Ministério da Saúde e certamente tem informações importantes para as nossas investigações. Caso contrário, não teria sido dispensado”, escreveu o senador.


Werneck teve quebra de sigilo telefônico e de mensagem aprovada pela cúpula da CPI. No entanto, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso suspendeu a medida no dia 14 de junho.

Barroso atendeu a pedidos feitos pela defesa de Werneck e Camile Giaretta Sachetti, outra servidora investigada pela comissão. De acordo com o ministro, o afastamento dos sigilos nos dois casos não foi devidamente justificado pela CPI. O ex-assessor foi citado por depoentes na comissão.

Os senadores querem entender o papel de Werneck no âmbito da Covax Facility, consórcio internacional de vacinas coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), cujo governo brasileiro optou por adquirir a quantia mínima de 10% de doses. Além de tratativas com empresas privadas internacionais, como a Pfizer, e com países produtores de vacinas e de insumos para a sua produção.