Brasil

Dona encontra cão perdido por pet shop após 8 dias: “Não desistiria nunca”

Metrópoles | 30/09/21 - 14h39
Arquivo Pessoal

Oito dias depois de um pet shop perder um cachorro deixado para banho e tosa, a tutora do cãozinho Nico, Catarina Oliveira, 22, conseguiu reencontrar o animal. Ele estava na região do Jardim Botânico 3.

Catarina contou ao Metrópoles que Nico estava sujo, com fome e vivendo nas ruas esse tempo todo. “Uma moça o viu e ligou para o pet shop, que nos informou o local que ele havia sido visto. Meu pai foi até o estacionamento do mercado que ele estava para buscá-lo”, explicou a tutora.

O pai da jovem, Carlos Roberto Fernandes de Oliveira, 70, conta que ele, a filha e a esposa moram em São Sebastião e criam cinco cachorros. Quando Nico desapareceu, Carlos revelou ao Metrópoles que a Central Pet Shop buscou os animais e levou para a unidade de São Sebastião. “Levaram todos para tomar banho lá e, no fim da manhã, deixaram o Nico fugir de dentro da loja. Por volta das 11h30, ligaram avisando que ele fugiu”, disse o aposentado, na ocasião.

Apesar do susto, Catarina afirma que o cãozinho está saudável, mas um pouco assustado. “Ele está gordinho, então, achamos que ele encontrou algo para comer nesses dias. Dei banho nele aqui em casa mesmo para ele descansar”, explicou.

A família de Nico divulgou o caso diversas vezes nas redes sociais para tentar encontrá-lo, mas estavam sem notícias desde que o pet shop avisou que o cãozinho desapareceu.

“Procurávamos todos os dias pela manhã, à tarde e à noite. Quando não estava na rua, estava nas redes sociais pedindo pra continuarem me ajudando. Às vezes, dava um desespero por estar sem noticias há muito tempo, e eu chorava muito, mas eu não desanimei de procurá-lo e não desistiria nunca”, destacou Catarina.

Relembre

O caso ganhou repercussão na quinta-feira (23/9) quando Catarina revelou o seu desespero nas redes sociais. Após ser informada que o cachorro fugiu da loja, a tutora trocou mensagens com o estabelecimento, pedindo informações. Em resposta, um funcionário respondeu: “Não falo mais nada relacionado essa situação com vc. Somente sua mãe (sic)”.

Para Catarina, a resposta do estabelecimento foi “lamentável”. “Um cachorro perdido não é como um objeto que podemos reparar financeiramente”, desabafou.