Brasil

Dono de prédio no RJ admite obra irregular, mas nega aluguel do imóvel

Metrópoles | 04/06/21 - 14h48 - Atualizado em 04/06/21 - 14h52
Aline Massuca / Metrópoles

O comerciante Genivan Gomes Macedo, do prédio irregular que desabou em Rio das Pedras quinta-feira (3/6) afirmou, em depoimento na 16ª DP (Barra da Tijuca), que a edificação “nunca foi feita uma planta do imóvel ou contratado profissional especializado”. No desabamento, ele perdeu o filho e a neta.

No depoimento ao qual o Metrópoles teve acesso, ele contou ainda que “há 15 dias sua filha Nathaniela informou que o o vidro de uma janela, do terceiro andar, havia estourado. Que achou que alguém havia jogado uma pedra”, contou Genivan. Ela também ficou ferida no desabamento.

Ele comprou o terreno há 25 anos e foi construindo aos poucos, contratando pedreiros aos quais não lembra os nomes por conta própria. Também disse que nunca alugou os apartamentos do imóvel, feito só para a família. Kiara Abreu, nora de Genivan, continua internada no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, zona sul.