Brasil

Elogiado por celebridades, goiano combina pintura em muros à natureza ao redor

Metrópoles | 13/09/21 - 22h07
Vinícius Schmidt / Metrópoles

Vivendo do próprio sonho. Foi dessa forma que o artista goiano Fábio Gomes, de 30 anos, definiu a atual fase profissional. Internacionalmente reconhecido por personalidades com o ex-guitarrista da banda Guns’N’Roses Slash, a atriz Viola Davis, a rapper Cardi B, a mãe de Beyoncé, Tina Knowles, as brasileiras Taís Araújo e Cris Vianna, ele une arte e natureza para ilustrar muros das cidades.

Na pintura mais famosa e que recebeu elogios no mundo inteiro, Fábio reproduziu a imagem de uma garotinha com o cabelo preenchido pelas flores lilás de um Bougainville. A foto do muro, inspirado na modelo mirim Egypt Sarai, viralizou nas redes sociais e ganhou a internet. E transformou a vida de Fábio.

“Depois dessas manifestações dos famosos, há cerca de um ano e meio, a minha vida mudou. Tenho recebido diversos convites para pintar em outras cidades, tenho viagem agendada para o Rio de Janeiro e estou me organizando para ir a Portugal a trabalho. Isso é algo que eu não conseguia nem imaginar”, relata Fábio, orgulhoso das próprias obras.

Ele ainda se declara surpreso com a dimensão que seu trabalho ganhou. “Saber que a minha arte é admirada por tantas pessoas importantes foi muito impactante. Eu achava que continuaria pintando aqui em Trindade (GO), não pensava que chegaria tão longe. Em algumas situações, eu estava trabalhando em fazendas ou até mesmo dormindo, mas o meu celular não parava com as mensagens e ligações das pessoas me dizendo que as minhas pinturas estavam sendo reproduzidas por jornais de outros países. Isso me fez feliz demais”, completa.

O endereço da obra principal fica na Rua 6, Conjunto Arco Íris, em Trindade, na região metropolitana de Goiânia. Já a galeria a céu aberto com as demais artes de Fábio, fica na Rua 202, também conhecida como Rua Belas Artes, no setor Sol Dourado, também no município.

Trajetória e inspiração - Segundo Fábio, desde criança sempre gostou muito de lápis e papel, mas sempre voltado para as artes. Ao Metrópoles, ele contou que, “infelizmente”, não deu muito valor aos estudos e reprovou seis vezes na escola, pois só pensava nos desenhos.

“Eu ia para a escola só para desenhar. Infelizmente, eu não dava muita importância para estudo, reprovei seis anos. Com isso, parei de estudar e, por falta de escolaridade e opção, fui trabalhar como servente de pedreiro. Já nas obras, os pedreiros viam os meus desenhos no papel e me incentivavam. Eles diziam: ‘Fábio, você pode viver da sua arte’, e foi aí que tudo começou”, disse ele.

A fauna, a flora e as pessoas são as grandes inspirações do trabalho do goiano. Ele faz retratos detalhados e muito coloridos de crianças, indígenas e mulheres negras, usando galhos e arbustos como “cabelo”, para emoldurar paredes. Entre as personalidades homenageadas por Fábio está a atriz Taís Araújo. Por meio das redes sociais, ela disse que amou a pintura.

Dificuldades - Ele diz que o começo da carreira não foi fácil. “Eu e a minha esposa passamos muita dificuldade, às vezes faltava até o que comer. Mas ela sempre me apoiou, sempre esteve do meu lado e eu nunca desisti do meu sonho: viver do que eu gosto. Agora estou realizando”, destaca Fábio.

Segundo o artista, apesar da falta de valorização no início da carreira, há cerca de sete anos ele vive exclusivamente da sua arte. “Agora, eu trabalho para que as pessoas tenham um outro olhar para a arte. Muita gente não dá valor, acha que ser artista não é profissão, mas trabalho por esse reconhecimento. A arte é muito importante para o ser humano também”, ressalta.