Alagoas

Em nota, Sesau confirma morte de idoso por covid-19

TNH1 | 31/03/20 - 18h10 - Atualizado em 31/03/20 - 19h57

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) emitiu nota de esclarecimento no final da tarde desta terça-feira, 31, sobre questionamentos feitos por uma parente do idoso de 64 anos,  que faleceu vítimia do coronavírus. Logo após o governador Renan Filho anunciar em sua conta no Instagram o registro da primeira morte por covid-19 em Alagoas, uma mulher, que se identificou como nora da vítima, afirmou, em um comentário logo abaixo da postagem do governador, que o sogro havia morrido por conta de uma peneumonia. 

Na nota, a Sesau reafirma que o paciente deu positivo para covid-19, como atesta análise laboratorial cujo resultado foi divulgado nesta terça-feira. 

"O paciente chegou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do Trapiche, na madrugada do dia 27 de março de 2020, após ter sido encaminhado pelo Hospital Geral do Estado (HGE), com sintomas de falta de ar (dispneia) e histórico de febre que estava ocorrendo há cinco dias. Prontamente, o médico plantonista realizou todas as avaliações necessárias. Ao perceber a gravidade da situação, o paciente foi entubado na própria UPA", afirma a nota, reproduzida na íntegra abaixo:

NOTA SESAU

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) vem a público prestar importantes esclarecimentos sobre o falecimento na madrugada de segunda-feira (30)  de um homem de 64 anos, natural do estado do Acre, em decorrência do novo coronavírus (Covid-19). Foi a primeira morte em decorrência do vírus em Alagoas.

Em relatos descritos pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), da Sesau, responsável pela notificação e investigação dos casos suspeitos da Covid-19 em Alagoas, o paciente chegou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do Trapiche, na madrugada do dia 27 de março de 2020, após ter sido encaminhado pelo Hospital Geral do Estado (HGE), com sintomas de falta de ar (dispneia) e histórico de febre que estava ocorrendo há cinco dias.

Prontamente, o médico plantonista realizou todas as avaliações necessárias. Ao perceber a gravidade da situação, o paciente foi entubado na própria UPA. Graças ao Plano de Contingência Estadual de Enfrentamento à Covid-19, colocando em prática a montagem de leitos intensivos nas UPAS, dotando os locais com os equipamentos para cuidados aos pacientes que chegassem com suspeitas do novo coronavírus.
Em relação à coleta, o paciente passou pelo procedimento de coletagem ainda no Hospital Geral do Estado (HGE). Posteriormente, a coleta foi encaminhada ao Laboratório Central de Alagoas (Lacen-AL). 

Após análise laboratorial, o resultado divulgado nesta terça-feira (31) testou como positivo para Covid-19 em um único teste feito pelo paciente. Segundo o prontuário médico, o paciente era hipertenso e diabético.

QUEIXAS DA FAMÍLIA

Nas redes sociais e em entrevistas à imprensa, a família reclama de dificuldade no internamento e na realização do teste para saber se o paciente era ou não portador da covid-19. O filho relatou uma "peregrinação" antes da morte do pai. O Instituto Saúde e Cidadania – ISAC, gestor das UPAs Trapiche da Barra, afirmou, em nota, não ter conseguido trasnferir o paciente para hospitais da capital, mas que o idodo recebeu o atendimento necessário na unidade, mas cabaou falecendo às 1h52 dessa segunda-feira, 30 de março.

Sobre a transferência, a Sesau explica que com a pandemia, a UPA estaria equipada com leitos de tratamento intensivo, após a implementação do Plano de Contingência Estadual de Enfrentamento à Covid-19. Na coletiva de hoje à noite que atualizou os números do coronavírus no estado, o secretário Alexandre Ayres reiteirou que apenas o Hospital Hélvio Auto, unidade de referêcia para tratamento da doença no estado, não comporta a demanda. Em entrevista à TV Gazeta, Ayres disse, ainda, que o paicente também não teria sido transferido porque a confirmação de que o paciente foi acometido da covid-19 só veio após o falecimento do idoso.

O TNH1 entrou em contato com por meio do perfil que fez a denúncia, mas não obteve retorno.  A reportagem conseguiu contato com o filho do idoso, mas muito abalado com a morte do pai e dizendo ser vítima de preconceito, preferiu comentar posteriormente o assunto. Ele informou também que a família está deixando o apartamento onde mora para se isolar em outro local.