Mundo

Estudante brasileiro é baleado na cabeça dentro de carro nos EUA

Metrópoles | 02/10/21 - 09h37
Reprodução/Redes Sociais

Baleado na cabeça há quase um mês, em Chicago, nos Estados Unidos, o brasileiro João Pedro Elisei Marchezani, 23 anos, segue internado em estado crítico. O crime aconteceu na noite de 4 de setembro. Os criminosos abriram fogo, e um dos tiros atingiu João Pedro na cabeça. Ele estava sentado no banco de trás com a namorada e uma amiga.

Devido ao trauma, João passou por cirurgias complexas para evitar danos cerebrais. Ele hoje respira com a ajuda de aparelhos.

Segundo a família, o osso do lado direito da cabeça foi serrado para a retirada da bala. Além disso, foram colocados dois drenos e um monitor de pressão cerebral.

Campanha

Para pagar os custos do hospital, a família abriu uma campanha no GofundMe.

A mãe do estudante de robótica, Monica Elisei Marchezani, contou ao G1 que, há dois meses, ela, o marido e um filho mais novo se mudaram para Cleveland, em Ohio, e João permaneceu em Chicago. O casal estava na cidade justamente para conhecer o novo lugar onde o filho moraria.

“Nos contaram que ele chegou ao hospital acordado, lúcido, muito assustado. Ele sabia o que tinha acontecido com ele, e dizia que não sentia o lado esquerdo do corpo”, contou a mãe do jovem à reportagem.

O estudante completou 23 anos em 27 de setembro. De acordo com a reportagem, os médicos colocaram um dreno no cérebro, mas o procedimento não foi suficiente para reduzir o inchaço cerebral. João, então, foi submetido a uma cirurgia, na qual chegou a ter uma parte do crânio removida. Em seguida, foi colocado em coma induzido.

“Ele não fala ainda, mas não se sabe se é pelo tempo que passou entubado. Mas conseguimos fazer leitura labial quando ele está mais calmo e menos cansado. Ainda não enxerga, mas seus nervos óticos não foram afetados. Não move o lado esquerdo, mas, pela minha fé, sei que vai mover”, disse a mãe. “Tenho fé de que vou levá-lo para casa”, afirmou, embora os médicos ainda considerem cedo falar em um prognóstico sobre a recuperação.

Segundo a mãe, a polícia tem alguns suspeitos de terem cometido o crime, e a investigação está avançando.

“Graças a Deus, quanto a essa parte, acreditamos que vá ser resolvido, e a Justiça será feita em breve”, contou ao site.

O crime

Na madrugada de 5 de setembro, João estava com a namorada e uma amiga no banco de trás do carro, seguindo em direção a um bar. O motorista percebeu pelo retrovisor que eles estavam sendo seguidos por um motociclista armado e, com medo de um assalto, ele desviou do caminho e deu uma “fechada” no condutor da moto.

Minutos depois, o motociclista reapareceu, acompanhado de uma segunda moto, na qual estava um homem armado, que disparou oito tiros contra o carro em que estava o brasileiro. Somente João foi atingido, com uma bala que entrou pela nuca e atingiu o cérebro.

Os jovens comemoravam o novo apartamento que João e a namorada haviam alugado para morarem juntos. Eles tinham passado a tarde comprando objetos para a nova casa.