Saúde

Estudo aponta que enxaguante bucal mata coronavírus em 30 segundos no laboratório

Metrópoles | 18/11/20 - 17h52
Ilustração

De acordo com um estudo feito pela Universidade de Cardiff, no Reino Unido, enxaguantes bucais com pelo menos 0,07% de CPC (cloreto de cetilpiridínio) são capazes de matar o coronavírus em 30 segundos no laboratório. A substância ainda precisa ser testada em humanos antes de ser incorporada à rotina de cuidados contra a Covid-19.

O estudo foi publicado em versão pré-print, ou seja, ainda precisa ser revisado pela comunidade científica. Este processo é fundamental para que se aponte qualquer fragilidade na pesquisa.

Em entrevista à BBC, Richard Stanton, principal autor do estudo, explica que o líquido foi testado em laboratório “sob condições projetadas para simular a cavidade oral/nasal em um tubo de ensaio”.

O próximo passo do ensaio clínico é verificar se os enxaguantes bucais de fato diminuem os níveis de coronavírus de pacientes infectados — os resultados devem ser publicados no início de 2021.

Apesar de apresentar sinais considerados promissores, não há evidência científica de que o enxaguante possa ser usado como tratamento contra o coronavírus, já que não é aplicado no trato respiratório ou nos pulmões, onde costuma se concentrar a infecção.