Saúde

Estudo mostra que 2ª dose da AstraZeneca não aumenta risco de trombose

Metrópoles | 29/07/21 - 23h57
Rafaela Felicciano / Metrópoles

Um novo estudo publicado nessa quarta-feira (28/7) na revista científica Lancet aponta que a segunda dose da vacina Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19 não eleva o risco da trombose com síndrome de trombocitopenia (TTS).

Segundo os resultados da pesquisa, liderada e financiada pela farmacêutica AstraZeneca, esse efeito colateral é raro e foi relatado por 2,3 pessoas a cada milhão de imunizados com a segunda dose da vacina. Esse número corresponde ao de casos de TTS encontrado em uma população não vacinada. No entanto, o índice é mais elevado após a primeira dose, saltando para 8,1 por milhão de pessoas imunizadas.

Os casos analisados nesse estudo ocorreram até 14 dias depois da primeira ou segunda dose, relatados até 30 de abril. Para chegar aos resultados, os cientistas utilizaram o banco de dados de segurança global da farmacêutica anglo-sueca.