Economia

Etanol, café e mandioca: veja os itens que mais tiveram alta em 2021

Metrópoles | 11/01/22 - 23h57
Vinicius Schmidt / Metrópoles / Reprodução

Etanol, café moído e mandioca: esses três produtos foram os que acumularam as maiores inflações em 2021, de 62,2%, 50,2% e 48,1%, respectivamente. Com alta de 0,73% em dezembro, a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou o ano passado com aumento de 10,06%. Essa é a maior taxa acumulada no ano desde 2015, quando a alta foi de 10,67%.

Os dados foram divulgados nesta terça-feira (11/1) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e analisados pelo Metrópoles. O resultado foi influenciado principalmente pelo grupo relacionado a transportes, que apresentou a maior variação, de 21,03%. Além do etanol, que subiu 62,2%, gasolina (47,5%), óleo diesel (46%) e gás veicular (38,7%) figuram nas primeiras posições.

No grupo referente a habitação, as principais contribuições vieram da energia elétrica (21,21%) e do botijão de gás (36,99%). Já no grupo que concerte a alimentação e bebidas, além de café moído e mandioca, açúcar refinado (47,9%), pimentão (39,2%) e mamão (36%) influenciaram o indicador ao longo deste ano. Veja as 100 principais variações, por subitem: