Polícia

Exames em corpos de suspeitos mortos no Sertão podem não terminar hoje

Deborah Freire | 09/11/18 - 11h13 - Atualizado em 09/11/18 - 13h36

Os exames de necropsia nos corpos dos 11 suspeitos mortos em operação no Sertão de Alagoas, na tarde dessa quinta (8), podem não ser concluídos hoje, segundo informou ao TNH1 o diretor do Instituto Médico Legal (IML) de Arapiraca, Silvio Nunes.

De acordo com ele, há dois principais motivos para que as perícias sejam mais demoradas. O primeiro deles é a quantidade de corpos para apenas um médico legisla e uma técnica forense que estão de plantão hoje e só têm até o entardecer para a conclusão do trabalho.

O segundo fator é a grande quantidade de lesões que o médico acredita haver nos corpos. “Não temos pressa para não entregar um laudo precipitado. Cada necropsia é uma história. Queremos fazer dentro de um tempo razoável, até para as famílias poderem fazer o sepultamento, mas a prioridade é a qualidade do laudo”, declarou.

Identificação

Os primeiros corpos começaram a ser liberados no final desta manhã, segundo informou o IML ao TNH1.

Foram identificados oficialmente Adjane da Silva, 30 anos, Evandro de Paula Lima Silva, 34 anos, André Luiz de Morais Lima, 30 anos, Carlos Alberto de Lima, 30 anos, e Adeíldo de Souza Timoteo, 23 anos. Familiares passaram os nomes de Francisco das Chagas Vieira de Barros, 32 anos, e Manuel Bezerra de Almeida, idade não informada.