Brasil

Falsa dentista é presa no momento em que fazia procedimento em consultório no DF

Metrópoles | 18/08/21 - 11h32
Gustavo Alcântara/Metrópoles

Uma mulher que se passava por dentista foi presa no último dia 11, em uma clínica de Águas Claras, no momento que realizava uma moldagem para confecção de prótese em uma paciente. Segundo a Polícia Civil do DF (PCDF), Vanessa Pureza Lopes alegou ter cursado odontologia até o 7º semestre, mas confessou não ter se formado. De acordo com a denúncia, ela teria falsificado o número de registro no Conselho Regional de Odontologia do DF (CRO-DF) para conseguir emprego no consultório.

O flagrante foi feito pelo setor de fiscalização do CRO-DF. Em visita de rotina à clínica, a equipe verificou que uma das profissionais listadas no corpo clínico do estabelecimento não tinha registro na entidade de classe, e estava, portanto, exercendo ilegalmente a profissão. Vanessa, que se intitulava cirurgiã-dentista, prestava serviço no local há pelo menos uma semana.

Ao ser questionada pelo CRO-DF, ela confirmou não ser habilitada para o trabalho. A polícia foi acionada e os envolvidos foram conduzidos à 21ª Delegacia (Taguatinga Sul) para registro da ocorrência. O crime está previsto no artigo 282 do Código Penal. A pena de detenção varia de seis meses a dois anos; e, se, praticado com fins lucrativos, aplica-se multa.

O estabelecimento também foi autuado por acobertamento do exercício ilegal da profissão.

“Em fiscalização de rotina do CRO-DF, foi constatado mais um caso de exercício ilegal da profissão. Nosso papel é proteger a sociedade e defender os profissionais que exercem legalmente a profissão”, disse o presidente do CRO-DF, Marco Antônio dos Santos.

Dono nega envolvimento

O proprietário da clínica negou saber da irregularidade e disse à PCDF que Vanessa havia sido indicada por outro dentista que trabalha no local. Por esse motivo, ele resolveu contratá-la.

Vanessa atendeu a reportagem e disse que retornaria com um posicionamento, o que não ocorreu até a última atualização deste texto. O espaço permanece aberto