Gente Famosa

Fãs denuciam Adele por “plágio” de Chico Buarque; entenda

Metrópoles | 23/11/21 - 13h42 - Atualizado em 23/11/21 - 13h43
Reprodução

Na última sexta-feira (19/11), Adele publicou o seu novo álbum, intitulado de 30. Não demorou muito para que alguns brasileiros fossem ao Twitter para acusar a britânica de plagiar um sucesso de Chico Buarque. Alguns, inclusive, pediram a prisão da cantora. Isso porque uma das músicas do álbum, To Be Loved, tem um toque de piano muito parecido com Eu Te Amo, composta por Chico Buarque e Tom Jobim em 1980.

Um tweet publicado logo após o lançamento do álbum de Adele comparou o início das duas músicas. “Eu quero ver a Adele na prisão, é isso que eu quero ver”, escreveu. Para a sorte de Adele, um especialista em música apareceu na publicação e negou que seja um plágio, apontando, inclusive, as diferenças entre as composições.

“O do Chico é uma sequência de acordes com movimento similar, mas em diferentes harmonias, enquanto que a da Adele é simplesmente uma escala descendente no padrão 2-3 1-2 7-1 6-7 e por aí vai. São formas musicais SIMPLES e consideravelmente distintas”, dissertou.

Outras pessoas também foram às redes para fazer a defesa da cantora. ” As notas de ‘te amo’ nesse fraseado estão em sentido crescente e decrescente em escala monocromática acompanhadas pelo baixo, enquanto To be loved está apenas em decrescente em soprano”, escreveu. Outro, inclusive, escutou as duas canções a fundo e representou, graficamente, as duas canções.

Acusação de plagiar Martinho da Vila

Em setembro deste ano, Adele foi acusada de plagiar a música Mulheres, de Toninho Geraes, compositor requisitado no mundo do samba e do pagode, e interpretada por Martinho da Vila. Ele colheu provas de sua tese e processou a cantora britânica. Geraes afirma que a canção foi plagiada por Adele na faixa Million Years Ago, do álbum 25, lançado em 2015. “Fiquei estarrecido quando me dei conta. A melodia e a harmonia são iguais. É uma cópia escancarada”, revelou o compositor à publicação.

Duas notificações extrajudiciais foram enviadas em maio a Adele, a Greg Kurstin (coautor da canção e seu produtor), à gravadora XL Recordings/Beggars Group e ao grupo Sony Music. No documento, os advogados de Geraes garantem que, além da linha melódica, a artista e seu parceiro “se apropriaram das primeiras notas de introdução” e as reproduziram no início, refrão e final de Million Years Ago. A capa do disco 30, inclusive, também foi acusada de plágio. A foto escolhida para estampar o álbum foi de perfil, o mesmo estilo de imagem de 4.5 Atual, lançado por Martinho da Vila em 2012.