Educação

Fortaleza sobe 81 posições em ranking estadual de alfabetização

Diário do Nordeste | 19/05/19 - 14h03
José Leomar/Diário do Nordeste

A Educação é um sistema complexo que envolve diversos indicadores instáveis, mas, diante desse contexto, Fortaleza vem melhorando resultados no Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará (Spaece) - avaliação que verifica a qualidade do ensino nos 184 municípios do Ceará e abrange as escolas públicas das redes estadual e municipais, avaliando os alunos de toda a Educação Básica.

A Capital cearense multiplicou em mais de 10 vezes o número de escolas no nível desejável de alfabetização. Em 2012, eram apenas 20 escolas, o que lhe conferia a última colocação em todo o Estado; no ano passado, já eram 206. Com o resultado, Fortaleza está agora em 103º no ranking da educação dos municípios do Ceará, tendo como base o Spaece Alfa.

Na edição de 2018, os estudantes de Fortaleza conseguiram também melhorar os índices de alfabetização, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática. Os dados divulgados pelo Governo do Estado e Prefeitura Municipal mostram que 92,5% dos alunos finalizaram o 2º ano do Ensino Fundamental alfabetizados. O resultado é superior à média registrada em todo o Ceará, que é de 89,6%.

De acordo com a secretária municipal de Educação, Dalila Saldanha, os números são bastante representativos. "O ranking indica que os resultados foram aferidos a partir da avaliação de 14.491 alunos, quando os municípios que ocuparam os primeiros 10 lugares variaram entre 82 (mínimo) e 455 (máximo) estudantes participantes", declara

Proficiência

A proficiência medida, que representa um conjunto de habilidades adquiridas pelos estudantes de Fortaleza no Spaece Alfa (que avalia o nível de leitura), cresceu de 131,4, em 2012, para 191,9, em 2018. "O dado fica próximo da média do Ceará, que hoje é de 195,1", ressalta a secretária.

Além de avaliar estudantes do 2º ano, o Spaece também foca em analisar competências de alunos do 5º e 9º anos. Na disciplina de Língua Portuguesa, o índice de desempenho do 5º ano cresceu de 199,4 (2012) para 223,8 (2018). Já em Matemática, os alunos evoluíram de 204,2 para 227,5, em igual período. Em ambas as disciplinas, a série está classificada no nível "intermediário" de desempenho.

Na série final do Ensino Fundamental, os alunos do 9º ano atingiram proficiência de 263,2, superior aos 246,4 registrados em 2012. Contudo, o avanço mais tímido do Spaece foi em Matemática, nesta série, o índice cresceu pouco mais de três pontos, subindo de 247,3 para 250,4.

Censo

A redução do abandono escolar no Ensino Fundamental é também mais uma conquista. De acordo com dados do Censo Escolar, coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em 2018, o percentual de abandono ficou em 0,6%. Em 2017, era 1,4%. Isso coloca Fortaleza como a capital do Nordeste com maior redução na taxa, seguida por Maceió e João Pessoa.

Além disso, com 96%, Fortaleza ocupa o 1º lugar na taxa de sucesso escolar das cinco maiores redes municipais das capitais, em 2018, à frente de São Paulo (95,8), Belo Horizonte (93,7), Manaus (92,9) e Rio de Janeiro (91,7). A taxa de reprovação também caiu de 4,4%, em 2017, para 3,4%, no ano passado.

Para alcançar e avançar nos resultados do Spaece, a secretária da Educação destaca as ações promovidas pela Secretaria Municipal da Educação (SME) para fortalecer a aprendizagem dos alunos da rede de ensino, por meio de uma política educacional estruturada, com um conjunto de estratégias que envolvem o acompanhamento pedagógico sistemático com intervenções ao longo do ano letivo, priorizando os níveis críticos em todas as séries e formações específicas e continuadas para professores e coordenadores pedagógicos. Conforme a secretária, a SME desenvolve ainda os programas de fortalecimento da aprendizagem no âmbito da política de ampliação da jornada escolar - Pró-Técnico, Integração e Mais Educação - dos alunos do 1° ao 9º ano.

De acordo com o coordenador do escritório do Unicef em Fortaleza, Rui Aguiar, os números apresentados pela Capital para aprendizagem no Ensino Fundamental revelam os primeiros resultados de um esforço feito pela SME nos últimos 6 anos para acompanhar o que os municípios do interior cearense estão fazendo desde 2004 em torno da alfabetização. Vencidos estes desafios, o coordenador diz que resta garantir o retorno à escola dos adolescentes que abandonaram os estudos por razões como o trabalho infantil.