Brasil

Manifestantes invadem Carrefour em Porto Alegre; polícia joga bombas

Metrópoles | 20/11/20 - 20h27
Reprodução/Internet

Um grupo de manifestantes invadiu o prédio da filial do supermercado Carrefour, na avenida Plínio Brasil Milano, em Porto Alegre, no início da noite desta sexta-feira (20/11).

Centenas de pessoas com faixas, cartazes e palavras de ordem protestavam contra a morte de João Alberto Silveira Freitas, 40 anos, na noite anterior, por dois seguranças do estabelecimento.

Durante a manifestação, um homem escalou o prédio, usando as marquises, e pichou a parede com a frase ” PM assacina (sic), racismo e inveja”. Foi amplamente aplaudido. Manifestantes atiraram pedras contra o estabelecimento comercial, além de um coquetel molotov e um sinalizador.

Logo depois, a Polícia Militar usou bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. Houve muita correria. Não há informações sobre feridos.

Um grupo do pelotão de choque da Brigada Militar chegou a entrar no estabelecimento comercial. Enquanto os manifestantes se concentraram do lado de fora, na Avenida Plínio Brasil Milano. Houve tentativa de invasão e uma grade de proteção do mercado foi derrubada.

Há focos de incêndio em alguns pontos da grade do supermercado. Os manifestantes não recuaram, mesmo após resposta dos policiais com armas não letais. Cada bomba jogada pelos militares aumenta o ímpeto dos manifestantes, que agora jogam pedaços de madeira para alimentar os focos de incêndio.