Brasil

Oito funcionários do Palácio do Alvorada, onde mora Bolsonaro, tiveram Covid-19

Metrópoles | 12/08/20 - 09h13
Foto: Daniel Ferreira / Metrópoles

O Palácio da Alvorada já teve oito funcionários afastados após diagnóstico positivo de Covid-19. O (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, obteve a informação após um pedido de Lei de Acesso à Informação (LAI).

De acordo com a resposta, que veio da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) do Palácio do Planalto, “113 pessoas trabalhavam no Palácio da Alvorada em 30 de julho de 2020”. Assim, o total de contaminados representa 7% da força de trabalho do local. Os números não incluem o presidente Jair Bolsonaro, que também já teve a doença.

A incidência do coronavírus na residência oficial do presidente da República é duas vezes maior do que a do Distrito Federal, onde se localiza o Palácio da Alvorada. De acordo com o Ministério da Saúde, o DF tinha 106, mil casos da doença em 31 de julho. A população estimada para a capital do país em 2019 é de 3 milhões de pessoas. Isso leva a uma incidência de 3,5%.

A situação no local de trabalho do presidente da República, o Palácio do Planalto, é pior ainda. Lá, 178 pessoas tiveram ou tinham a doença até o fim de julho, de acordo com a Secretaria de Governo. O local tem cerca de 3,4 mil funcionários. Caso esse número seja considerado, a incidência é de 5,2%.

Entretanto, mais da metade dos servidores lotados na sede do Executivo federal estavam trabalhando remotamente. Assim, o total de funcionários a ser considerado é, no máximo de 1,7 mil. Nesse caso, a incidência da doença seria duas vezes maior, de 10,5%.