Saúde

Ômicron, Delta ou gripe? Conheça os sintomas mais comuns de cada uma

Metrópoles | 29/12/21 - 16h54
Reprodução

Doenças virais apresentam sintomas parecidos no corpo. Conseguir identificar os sinais de cada uma delas é necessário para proteger a sua saúde e também a dos outros, principalmente neste período em que o Brasil registra disseminação de diferentes formas de vírus, como as variantes Ômicron e Delta, do Sars-CoV-2, e influenza.

A infectologista Ana Helena Germoglio explica que a infecção provocada pelo coronavírus – seja pela mutação Delta ou Ômicron – tem sintomas bastante semelhantes. “No início da Covid-19, existiam sintomas característicos como perda de olfato e paladar, que a gente não viu com tanta frequência com a Delta e, muito menos agora, com a Ômicron”, afirma a especialista.

Segundo ela, a Ômicron está associada a sintomas respiratórios mais leves, como os de um resfriado. Já a gripe forte costuma começar com febre alta, progredindo para sinais como dor de garganta, tosse, dor no corpo, cansaço e dor nas costas. A infectologista destaca a importância do isolamento social para todos os casos: “Independente de qual seja o vírus, agora que a gente está enfrentando uma época de duas doenças de transmissão respiratória, é importante que, ao menor sinal de quadros respiratórios, já se inicie o isolamento”.

Identifique os principais sintomas da gripe e das variantes Ômicron e Delta:

Gripe - O infectologista Werciley Júnior, do Hospital Santa Lúcia, explica que a gripe é causada por vários vírus diferentes, mas os principais são os subtipos H1N1 e H3N2 do influenza. “As características básicas são febre, dor no corpo, astenia, que é a sensação de fadiga. Cada doença tem uma evolução, mas nos casos de gripe ocorre secreção, coriza e tosse. Normalmente, é um quadro limitado e com dois ou três dias se resolve”, comenta Júnior. Recomenda-se que a pessoa descanse e beba bastante líquido. Medicamentos como paracetamol e ibuprofeno podem ser usados para aliviar os sintomas. Uma diferença importante entre a gripe e a Covid é o tempo de evolução da doença. Enquanto na gripe os sintomas são mais fortes nos dois primeiros dias, na Covid, nos casos em que o quadro se agrava, isso acontece lá pelo 8º ou 10º dia.

Variante Ômicron - Especialistas sul-africanos sugerem que os sintomas mais comuns apresentados pela variante Ômicron são dores pelo corpo, na cabeça, fadiga, perda de apetite e espirros. Alguns deles se manifestavam em outras variantes, como a Delta e a Gama, e também em outras formas de gripe. Entretanto, sintomas inéditos foram observados nos infectados pela nova mutação: suores noturnos e sensação de garganta arranhando. A médica Angelique Coetzee, responsável por alertar as autoridades de saúde sobre o surgimento da Ômicron, comentou em diversas entrevistas que pacientes com quadros leves se mostravam bastante cansados. Ela também notou uma elevação na frequência cardíaca de crianças infectadas.

Variante Delta - Segundo informações do Instituto Butantan, os sintomas mais comuns da variante Delta são febre, tosse persistente, coriza, espirros e dor de cabeça e garganta. Uma pesquisa do King´s College of London, que analisou infecções por coronavírus no Reino Unido, indicou que perda de paladar e de olfato não são comuns para os infectados por essa cepa. A variante Delta provoca um adoecimento mais rápido que as outras mutações e há maior risco de hospitalização, sobretudo para os não imunizados. Dados do Centro Europeu para Controle e Prevenção de Doenças indicam que os vacinados infectados com a Delta tendem a ser assintomáticos ou apresentar sintomas leves.