Mundo

Pelo menos 31 migrantes morrem ao tentarem atravessar Canal da Mancha

Metrópoles | 25/11/21 - 20h42
Instagram / Reprodução

Pelo menos 31 migrantes morreram tentando atravessar o Canal da Macha na tarde desta quarta-feira (24/11). O naufrágio, que aconteceu perto da cidade francesa de Calais, é considerado o acidente mais mortal já ocorrido na região. O presidente frânces, Emmanuel Macron, disse que a França não deixará o Canal da Mancha se tornar um cemitério. Macron também solicitou reforço imediato da fiscalização nas fronteiras e uma reunião de emergência para discutir o problema de migração pelo qual a Europa está passando.

O barco estaria superlotado com cerca de 50 migrantes, que buscavam chegar no Reino Unido através do Canal da Mancha. Dentre os mortos, estão cinco mulheres e uma criança. Além disso, outras duas pessoas foram resgatadas com vida, mas estão em estado grave. Em entrevista coletiva, o ministro do interior da França, Gérald Darmanin considerou as mortes dos migrantes como um momento de luto para a França e para a Europa.

“Emoção forte diante do drama das muitas mortes devido ao naufrágio de um barco migrante no Canal da Mancha. Não podemos dizer o suficiente sobre a natureza criminosa dos contrabandistas que organizam essas travessias”, afirmou Darmanin. Jean Castex, primeiro-ministro da França, classificou o naufrágio no Canal da Mancha como uma tragédia. “Meus pensamentos estão com os muitos desaparecidos e feridos, vítimas de contrabandistas criminosos que exploram sua angústia e miséria. Acompanho a situação em tempo real”, comentou o político.