Futebol Nacional

Perícia não vê injúria racial de Rafael Ramos e revolta Edenilson

Metrópoles | 08/06/22 - 21h25
Instituto-Geral de Perícias (IGP) não identificou fala racista do lateral do Corinthians contra o jogador do Internacional | Foto: Reprodução/SC Internacional

O Instituto-Geral de Perícias (IGP), informou que não foi identificado injúria racial por parte do lateral Rafael Ramos contra o meia Edenilson, do Internacional. O que causou revolta no jogador do Colorado, que se manifestou nas redes sociais.

O laudo de 40 páginas enviado pelo IGP à Polícia Civil não conseguiu identificar o que o lateral do Corinthians falou ao meia do time gaúcho. “Por essas razões, é impróprio que a perícia criminal oficial do Estado afirme, com responsabilidade do ponto de vista processual e científico, o que foi proferido pelo jogador na cena questionada”, diz comunicado do IGP.

Revolta - Ao saber da divulgação do laudo, Edenilson se manifestou através das redes sociais. Nos stories de seu Instagram, o jogador postou a foto do gol que fez na partida seguinte ao jogo contra o Corinthians com um X na boca.

“Não iriam nos calar? Já nos calaram. Se ofendidos, aceitem, engulam a seco. Finjam que não escutaram, é uma luta desleal, é uma luta inconclusiva”, criticou o jogador. Além da postagem, Edenilson apagou as fotos de seu feed, mudou sua foto de pertil e alterou seu nome na rede social para Macaco Edenilson.

Entenda - No dia 14 de maio, Internacional e Corinthians empataram em 2 x 2 pelo Campeonato Brasileiro. Mas a partida ficou marcada pela acusação de injúria racial por parte de Edenilson. O jogador do Colorado afirmou que o lateral Rafael Ramos, do Timão, o teria chamado de macaco.

O atleta do Corinthians chegou a ser detido na mesma noite. No jogo seguinte do Internacional, pela Libertadores, Edenilson fez os dois gols da vitória do Inter e protestou contra o racismo.